“Eu aprendi a estudar de verdade no cursinho”, diz jovem aprovada para medicina na USP e Unesp

“Eu aprendi a estudar de verdade no cursinho”, diz jovem aprovada para medicina na USP e Unesp

Oficina do Estudante

23 de fevereiro de 2022 | 15h20

Aprovada para o curso de medicina nos vestibulares da Universidade de São Paulo (USP) e Universidade Estadual Paulista (Unesp), Sofia da Silva Santos, de 20 anos, afirma que aprendeu a estudar de verdade no Curso Pré-Vestibular da Oficina do Estudante de Campinas (SP). 

“O cursinho foi muito importante na minha vida. Meu Ensino Médio foi em escola pública. Então, eu não tive base nenhuma. O Pré-Vestibular, portanto, foi um divisor de águas na minha vida. Sem ele, provavelmente demoraria muito mais para atingir meu sonho”, contextualizou.

                                              (Foto: Jonathan Camilo / Oficina do Estudante)

Ela destaca como fundamentais a orientação pedagógica e plantões de dúvidas, realizados de forma individual, e os simulados. Sobre o cronograma de estudos, Sofia estabeleceu uma regra: estudar o que aprendia nas aulas, logo depois delas, para não esquecer. Assim sendo, fazia exercícios. A rotina tinha início às 7h, indo até as 19h ou 21h, de segunda a sábado. Aos domingos, descansava. Porém, houve momentos em que julgou necessário abdicar da folga para estudar. Com essa estratégia, dedicou mais tempo às disciplinas de Física e Matemática. 

Comenta que o suporte da família foi fundamental no processo: “meu pai me ajudou financeiramente e minha mãe psicologicamente”. “Eles foram meus grandes amigos”, completa. Sofia fez também boas amizades no Pré-Vestibular, com outros vestibulandos e professores. “Ouviram meus desabafos, me incentivaram e socorreram, quando eu não entendi algum exercício ou ponto de alguma matéria”, elogia.  

“O sentimento de ser aprovada, infelizmente, é indescritível. Mas, se for pra tentar descrever, é uma explosão de alegria, alívio e satisfação.”

Para quem está ingressando ou caminhando na trajetória para a difícil aprovação em Medicina, Sofia entende que a palavra de ordem é “persistência”. Cita a música “Pontes Indestrutíveis”, do Charlie Brown Jr., que diz que “a volta por cima vem da continuação” 

“Não adianta alguém ser inteligente, se não for determinado. E determinação, para mim, é continuar insistindo mesmo quando tudo diz que não. Lidar com o vestibular e a pandemia é extremamente difícil, mas não impossível. Existe uma luz no fim do túnel, mas ela só será vista depois de uma boa caminhada”, afirma. 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.