Atualidades e geografia cotadas para o Enem

Atualidades e geografia cotadas para o Enem

Oficina do Estudante

15 de agosto de 2019 | 11h29

Geografia é uma disciplina abrangente, composta por dois eixos, segundo o professor Axé Silva, da Oficina do Estudante.“Existe a geografia física e a geografia humana. Geralmente o examinador está interessado em avaliar o conhecimento do candidato na fusão dessas duas ramificações”, explica o professor.Mas o que isso significa?Axé Silva responde: segundo ele, a geografia é uma ciência multidimensional.Por isso, quando no campo da geografia física é importante pensar na dinâmica da natureza, os impactos ambientais gerados pela sociedade, tanto no Brasil quanto no mundo.

Assim, ele dá algumas dicas de temas que podem cair no Enem e no vestibular, como desertificação, acidentes como o que aconteceu em Brumadinho (MG) são tópicos que, na opinião de Axé, podem ser tema de questões de vestibular.

“Há uma grande chance de os examinadores abordarem o acidente em Brumadinho, em questões que envolvem a atividade mineral, as relações mineradoras, garimpeiros e indígenas, o impacto que acontece nesses espaços, o desmatamento”, detalha o professor. “Tudo isso tem a ver com questões ambientais, da natureza e com o impacto da ação humana, que potencializa em nível local e global”.

Geografia Humana

No campo da geografia humana, Axé destaca o processo de envelhecimento da população brasileira.

“O Brasil era um país jovem nos anos 1970 e 1980 e hoje somos um país de adultos, de pessoas entre 19 e 59 anos, mas há um crescimento substancial da população idosa e isso se reflete, por exemplo, em debates sobre temas como a reforma da Previdência. Há, então, a possibilidade de um examinador entrar nessa discussão”, arrisca o professor.

Ainda dentro da geografia humana, existe o eixo da geografia econômica. Entre os temas possíveis está o perfil das exportações brasileiras.

“O Brasil é o país que tem o maior parque industrial da América Latina e também tem uma produção agrícola substancial. No entanto, está ocorrendo uma reprimarização da economia brasileira, com o aumento da exportação de produtos que são chamados de commodities (soja, café, açúcar e derivados da cana). O Brasil está cada vez mais valorizando esses produtos primários na sua pauta de exportações”, detalha.

Atualidades

Entre os temas de atualidades cotados para o Enem e o vestibular, o professor Axé Silva sugere alguns tópicos:

– Questões ambientais envolvendo o Brasil e outros países. Um tema cotado é o aquecimento global. “Tem gente que não acredita no aquecimento global. Donald Trump retirou os Estados Unidos do Acordo de Paris o Brasil está em uma posição ambígua em relação ao ele”, analisa o professor. “Então, está na ordem do dia a discussão sobre matriz energética e caminhos que o mundo seguirá nessa área”.

– Refugiados, é tema importante, segundo Axé. “O século 21 está registrando a maior crise humanitária com relação aos refugiados. Dados recentes dão conta de que houve um aumento do deslocamentos forçados no mundo”.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem 70 milhões de pessoas que se deslocaram forçosamente de suas áreas de origem para outros lugares, seja dentro do próprio país, seja fora dele. “O Brasil recebeu uma grande quantidade de refugiados latino-americanos (cubanos, venezuelanos, haitianos). Esse é um tema que pode ser recorrente nos vestibulares”, aposta o professor.

– Embates entre Estados Unidos e China. “São duas grandes potências. Ainda não está fechada essa discussão, mas pode ser lembrada em algum exame”, diz Axé.

– A aproximação entre União Europeia e Mercosul. “Foi feito um anúncio de acordo com a União Europeia em 28 de junho, o que marca uma aproximação. Ainda há um caminho longo, mas este pode ser tema de alguma questão”.

– Brexit é outro assunto em pauta, na percepção do professor. “A Inglaterra escolheu um novo primeiro-ministro que afirmou categoricamente que o Reino Unido sairá da União Europeia até outubro”, diz ele.

Oriente Médio

Há uma série de questões que podem ser lembradas:

– Este ano, pensando nas efemérides, 2019 marca os 40 anos da Revolução Iraniana, quando os aiatolás chegaram ao poder.

– O debate em torno as armas nucleares envolvendo o Irã. “Havia um acordo feito entre Barack Obama e o governo iraniano sobre a questão nuclear e o Donald Trump suspendeu esse acordo. Hoje o Irã é visto como um país inimigo dos Estados Unidos. É uma possibilidade de questão”.

– O embate entre Israel e Palestina. “Ano passado, comemorou-se os 70 anos do Estado de Israel, mas ainda existem conlfitos”.

– A guerra na Síria, que está no oitavo ano, é outro tema cotado, aposta Axé Silva.

Tendências: