Aluno Oficina é um dos 5 brasileiros na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia

Aluno Oficina é um dos 5 brasileiros na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia

Oficina do Estudante

08 de setembro de 2020 | 12h52

Aluno Oficina
Um estudante de Campinas, que ganhou a Maratona de Ensino TVB Record 2017, é um dos únicos cinco brasileiros que irão participar este ano da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).

Eduardo Henrique Camargo de Toledo cursa a 2ª série do Ensino Médio na Oficina do Estudante. Entrou no colégio há dois anos, por meio do concurso de TV, e, desde então, estuda na Oficina com 100% de bolsa.

Foi classificado para a Olimpíada depois de passar por uma seleção que abrangeu cerca de 20 provas. A edição 2020 seria realizada no Equador, mas ocorrerá pela internet, em novembro, devido à Covid-19.

“A Oficina é um diferencial pra mim. Atende muito bem as minhas necessidades de estudo porque sou uma pessoa que gosta de aprender sempre mais e mais”, afirma Toledo.

Apoio

O professor de física, Giuliano Perina Spazziani, que ensina astronomia no colégio, conta sobre o perfil de Eduardo – estudante nota 10 do colégio.

“Ele é um ótimo aluno! Tem um interesse enorme pela ciência, pelo seu desenvolvimento. É muito fácil de perceber que ele leva muito a sério os estudos, e que tem um enorme potencial de desenvolvimento. Torço muito por ele e pelo seu sucesso, em qualquer caminho que ele busque trilhar. Tenho certeza que será bem sucedido em sua jornada”.


Futuro promissor

Eduardo Toledo pensa em fazer faculdade de astronáutica.

E dá dicas para os alunos, que, assim como ele, sonhavam em participar da Olimpíada:

“Resolva exercícios. Faça as provas anteriores. Seja organizado. Controle a ansiedade durante a prova. E lembre-se: não importa o quanto você estude: haverá questões que você não conseguirá fazer. E tudo bem. Você vai conseguir aprender e inclusive estudar enquanto faz a prova”.

A Oficina do Estudante conta com aulas específicas que preparam os alunos interessados em participar da Olimpíada de Astronomia.

O conteúdo é voltado à disputa, mas serve além dela.

Ensina conceitos que vão, desde a origem histórica da astronomia enquanto ciência, passando pelo estudo e reconhecimento de constelações, à origem do Sistema Solar, de galáxias e estrelas, movimentos da Terra, fenômenos astronômicos como eclipses, e os efeitos e consequências que podemos sentir aqui em nosso planeta.

São abordados ainda tópicos relativos às máquinas e equipamentos utilizados para a observação, conhecimento e conquista do espaço, bem como abordagens históricas dessa evolução tecnológica.
E a aplicação desses conhecimentos pode servir para futuras carreiras, como as próprias astronomia, astrofísica e física.

Mas essa é apenas uma possibilidade, porque pode despertar ainda o interesse por profissões ligadas às engenharias, por exemplo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: