As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Velho demais para um MBA? 4 dicas para contornar esse obstáculo

Paula Braga

11 Março 2016 | 10h07

Você tem 30 e poucos anos. Para todos os efeitos, está na flor da idade. Para um MBA fora do Brasil, você está no limite e, possivelmente, velho demais. Ao menos, essa é a percepção geral. Ela confere?

Se formos analisar os dados de 2015, a media de idade das principais universidades americanas é 27-28 anos, sendo que 80% dos alunos está entre 25-30 anos. Ou seja, trinta e poucos está de fato pendendo para o lado magrinho da curva normal. Mas 20% não é desprezível. Há sempre espaço para pessoas excepcionais. E, se você tem trinta e poucos, é melhor que você seja excepcional mesmo. Isso, além de ter uma visão muitíssimo clara (e convincente e inspiradora) de por que um MBA faria sentido nesse momento.

Demonstrar a visão de como um MBA se encaixa em seus planos é fundamental porque muitas das universidades que proporcionam o curso tradicional de 2 anos, possuem também uma versão mais acelerada, focada em profissionais mais maduros. Sim, “maduro” é a versão politicamente correta de chamarem a nós, trintões e acima.

Por terem sido desenhados para profissionais que não tem interesse em parar de trabalhar para fazer o curso, os MBAs executivos ocorrem em dois principais formatos. O primeiro combina ensino a distância com alguns módulos presenciais ao longo do ano. O segundo ocorre através aulas semanais ao final do dia (após o horário de trabalho) e aos finais de semana. Por uma questão de facilidade e custo, a primeira opção acaba sendo mais atrativa para estudantes não-americanos.

Essa é uma boa alternativa para os que não podem ou não querem largar suas atuais ocupações. A desvantagem é a ausência de convivência cotidiana que muitas vezes resulta numa rede de relacionamentos mais sólida.

Além dos MBAs executivos, os programas tradicionais europeus são conhecidos por terem uma media de idade um pouco mais alta. Mas a realidade é que a diferença é bem pequena, ao redor de 29 anos, com algumas poucas escolas (como HEC e IMD) tem a idade media acima de 30.

Ou seja, se você tem mais de 30 anos, você vai ser minoria. Isso não necessariamente é ruim, mas requererá um bom empenho de sua parte para mostrar como essa maturidade poderá ajudar no mix de alunos.

Agora, se MBAs executivos ou europeus não são a sua praia, não tema. Segue abaixo quatro estratégias para você aumentar suas chances de entrar no seu MBA dos sonhos.

Dicas para Candidatos Acima de 30 Anos

1) Se o sonho é o tradicional programa de período integral de dois anos, seja um candidato excepcional. Isso significa: GMAT alto, comprovada experiência de liderança, exemplos de sucesso prévio e, principalmente uma visão clara do que pretende atingir no futuro.

2) Nesta visão de futuro clara, mostre como você vai atingir seus planos de carreira. Um dos critérios que determina a posição da escola nos rankings é o nível de empregabilidade de seus alunos pós MBA. A percepção geral é que empregar um jovem de 27 é mais fácil do que um de 35 (seja porque ele aceitaria um salario menor, seja porque ele estaria disposto a dedicar mais horas/ter maior flexibilidade). Mostre que você não será um problema para o Centro de Carreiras da faculdade. Comunique seu plano de como conseguirá um emprego de maneira clara e contundente.

3) Pro-ativamente explique porque esse é o momento ideal para você fazer o MBA, vendendo sua experiência adicional como um diferencial. Não deixe eles especularem que você se atrapalhou nos seus planos.

4) Demostre – em suas redações e entrevistas – envolvimento em diferentes comunidades e seu interesse em contribuir com a comunidade da universidade. Uma das preocupações na seleção de candidatos é criar o mix ideal, que conseguirá interagir, se apoiar e, consequentemente, criar comunidades longevas. Uma apreensão em relação a candidatos mais maduros é que eles não iriam se envolver tanto com os colegas (por já terem família, por não acharem tanta graça em um bando de pessoas de 20 e poucos). Mostre que isso não procede.

Em resumo, se você é da época que o Milkybar ainda se chamava Lolo, não precisa se desesperar. Siga as dicas acima e vá ser o tiozão da turma feliz e contente!