V – Volta do MBA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

V – Volta do MBA

Claudia Gonçalves

02 Julho 2014 | 10h00

 

VOLTA DO MBA – DICAS PARA FACILITAR E APROVEITAR O PROCESSO MUDANÇA

Você piscou e dois anos se passaram.  Seu MBA chegou ao final e em algumas semanas você deixará essa vida que passou a amar, para embarcar em uma nova aventura.  Independente de você voltar a seu país de origem ou adotar uma nova nação como lar, sua vida não será mais a mesma.

Aqueles amigos, aquela rotina e aquela vida mágica em que ninguém trabalha (e mesmo assim consegue viajar, passear, aproveitar) chega ao fim.  É hora de voltar à realidade.

Trata-se de um grande baque para o maioria das pessoas, por melhor que sejam as perspectivas futuras.  Sérios casos de TPM (tensão-pré-mudança) são comuns, e os efeitos colaterais não são nada atraentes.  Para evitar maiores desgastes, seguem abaixo as principais dicas que recebi para tornar esse retorno o mais tranquilo possível.

 

1)      Sobre as coisas que você NÃO quer levar

Esta é a hora de praticar o desapego.  E, se possível, conseguir uma graninha.  Você vai precisar dela quando falarmos do item 2).

Carro: Caso você tenha adquirido um, deve saber que  infelizmente não poderá levá-lo para o Brasil. O jeito é vendê-lo.  Lojas de automóveis e concessionárias são sempre uma alternativa, mas vender para os novos alunos que estão chegando é em geral melhor.  Você pode cobrar um pouquinho mais que o valor que receberia na concessionária pois, comprando de você, os alunos não terão que pagar uma taxa de aquisição do carro.  Ou seja, mesmo com você recebendo mais dinheiro, os novos estudantes pagam menos. Negociação ganha-ganha.

Roupas: a cultura do brechó é mais difundida fora do Brasil (especialmente em cidades de estudantes) então, se tiver paciência, leve suas roupas para uma loja para vendê-las.  O dinheiro não será nada espetacular, mas é algo.  Essas lojas buscam em geral roupas relativamente novas de marcas locais.  Ou seja, se a maioria de suas roupas é brasileira, nem perca seu tempo (falo isso por experiência própria).   Caso deseje doar roupas, há uma série de alternativas, desde igrejas, Exército da Salvação, ou caçambas de doação em grandes lojas de departamento.

Papelada: de uma coisa você pode ter certeza – estudar gasta papel.  Mesmo com todos os laptops, smart phones e tablets, garanto que você vai acumular alguns fichários em sua casa.  Escaneie o que for imprescindível, recicle todo o resto.  Dá dó, eu sei.  Mas a chance de usar esses papéis novamente é praticamente nula.

Móveis: olá novos alunos!  Estudantes que estão chegando serão os principais interessados em seus móveis usados.  Para móveis com até dois anos em bom estado, o praxe é dar 30%-50% de desconto.  Trata-se de uma ótima alternativa para novos alunos  que – além de economizarem –  evitam todo o desgastante processo logístico de ter que comprar, transportar, montar os móveis.  O desafio aqui é que a data de sua partida esteja alinhada com a data de chegada do novo estudante.  Caso isso não seja possível, Craigslist é sempre uma alternativa.

2)      Sobre as coisas que quer levar

Comparado com o Brasil, comprar coisas nos Estados Unidos é barato.  A tentação de enlouquecer nos outlets e na Amazon é forte.  Palavra de ordem: cuidado!  As coisas são baratas, mas o frete para o Brasil é caro!  Algumas coisas para se lembrar:

– Calcule se realmente vale a pena levar o que você está pensando, especialmente se for de grande porte.  Veja o preço do metro cúbico do contêiner e inclua no preço americano.

– Se você for casado, é provável que já tinha sua casa montada no Brasil.  Lembre-se de tudo que já possui para não ficar com itens repetidos.

– Se pretende ter filhos no próximo ano, agora é a hora de aproveitar!  Se tiver um contêiner, levar todos os itens grandes (cadeirão, carrinho, etc) são uma ótima.  Reza a lenda que vale muito a pena, pois os preços são uma fração do que seria no Brasil.  Se contêiner não for uma alternativa, não tema!  Pagando uma taxa para a companhia aérea, você pode levar uma série de caixas.  Ainda vale muito a pena.

3)      Sobre a mudança em si

Você não é a primeira nem a única pessoa a se formar e ter que passar por esse momento.  Poupe tempo e peça ajuda.  Pratique suas novas técnicas de networking e  fale com ex, atuais e futuros estudantes.  Alguns assuntos que podem ser abordados:

– Vocês fecharam contêiner? Que companhia de mudança você usou? Poderia me passar sua planilha de orçamentos?

– Como e onde consigo o certificado de residência? (trata-se de um documento necessário nos EUA para quem quer levar mudança para o Brasil)

– Vocês também querem levar coisas para o Brasil?  Tem interesse em rachar o contêiner?

– Sabem de alguém que tem interesse em comprar um sofá/cama/armário?

4)      As contas

Considere que todas suas contas serão renovadas automaticamente, portanto é fundamental  listar e  comunicar  todos os prestadores de serviço. Ou seja, se você esquecer de cancelá-las, vai continuar ajudando a economia local mesmo sem usufruir dos serviços.  Portanto, não se esqueça de:

– cancelar a conta telefônica, e de desbloquear o celular para liberar seu uso em outro país

– cancelar seguro saúde (obrigatório para maioria dos MBAs)

– cancelar cartões de crédito de lojas (Apesar de alguns deles terem sido gratuitos até o momento, muitos passam a cobrar anualidade depois do primeiro ano.  Vale verificar)

– cancelar contas de luz, gás, condomínio, TV a cabo, estacionamento, academia, etc

– Caso você não queira que o futuro inquilino de seu atual apartamento fique recebendo suas correspondências, considere mudar seu endereço de contato nos diferentes estabelecimentos.

– Caso não tenha interesse em continuar recebendo comunicações eletrônicas de empresas locais (como, por exemplo, ofertas do groupon em Chicago), também cancele sua subscrição a esses  sites.

5)      Foque nas pessoas

Mais do que modelos financeiros, estratégias de marketing, cálculos estatísticos…o que realmente se leva desse MBA são as pessoas.  Tenha claro o tipo de relacionamento que gostaria de manter com cada pessoa e tome as comece a preencher seu calendário.   Considere que final de MBA é que nem época de Natal.  Você vai ter mil eventos, confraternizações, reuniões.  A FOMO (fear of missing out) bate forte.  Comece as despedidas o mais cedo possível.

6)      Firmando-se como local.

É comum acharmos que sempre haverá mais tempo.  Para ir àqueles restaurantes, conhecer aqueles museus, aquário, balada, etc.  O fato é que agora não haverá mais tempo.  Então se gostaria de deixar sua nova cidade sendo uma referência nela, é hora de ser proativo.  Segure a preguiça, defina as experiências que quer ter, e faça acontecer.

 

Quero deixar claro: não sou nenhuma expert em mudança (só de mudança de carreira, quero dizer).  Essas foram apenas algumas coisas que considerei úteis no meu próprio processo.  Tendo isso em mente, se eu pudesse dar apenas uma dica para seu final de MBA, seria:  aproveite o máximo de tempo com a(s) pessoa(s) que realmente ama.  Namorar, jogar conversa fora, cochilar à tarde, ir ao cinema em plena segunda-feira….para mim, essas são as coisas que vão dar mais saudades.

Agora com licença que tenho que ir.  Hora de andar de bicicleta com o marido antes de atender ao próximo cliente.

 

Enquanto a Paula abordou a partida, gostaria de abordar a chegada ao novo lugar. Como a Paula comentou, pode ser que você esteja retornando ao Brasil, mas pode ser se esteja indo para outro destino.

No novo destino, provavelmente terá algumas situações muito parecidas com aquelas que viveu logo quando chegou ao seu MBA. Procurar lugar para morar, entender como as coisas funcionam nesse local e assim por diante. A sua experiência prévia com a adaptação no MBA vai ser um recurso fabuloso para se adaptar no novo país/região. Provavelmente terá ajuda da empresa que está te levando também.

Embora voltar para seu país natal possa parecer trivial, não é. Provavelmente você espera encontrar tudo como deixou e pior, tomará um choque ao se dar conta de que foi você que mudou. Ou seja, o apoio de sua memória e lembranças de como as coisas eram antes podem gerar desconforto.

A fase um dessa readaptação é reclamar de tudo que não funciona… Irritar-se com coisas que antes de sair do país não o irritavam. Por trás dessa irritação e frustração, existe certo sentimento de já não se encaixar 100% como era antes. A fase dois é tentar voltar a ser como antes. Mas também não dá para apagar dois anos de sua vida ou transformá-los em fotos e lembranças apenas. A fase três é experimentar como será você transformado pelas experiências que viveu e readaptado. Essa fase de experimentação é fundamental para que possa desenvolver sua nova forma de agir, pensar e interagir com as pessoas.

Não dá para queimar etapas. Mas dá para tentar passar pelas fases um e dois o mais rápido possível. Entender que essas fases existem já é um bom começo. Alguns recorrem a terapia, outros ao coaching e muitos aos amigos em happy hours. Não importa a forma que use para lidar com a situação, tente ser um bom mediador entre o seu eu pré MBA e o pós MBA.

 

Este artigo foi escrito em colaboração por Paula Braga e Claudia Gonçalves

Paula Braga é uma coach internacionalmente reconhecida, fundadora e CEO da Orange Coaching.  Sua especialização e paixão é ajudar profissionais a criarem a vida e carreira de seus sonhos.  Além de atender a clientes particulares, Paula presta serviços de coaching para a organizações como a ONU e Kellogg School of Management.  Em seu tempo livre, Paula segue seus próprios conselhos e trata de aproveitar esse finalzinho de MBA.

Claudia Gonçalves atua como coach de carreira e MBA há cerca de 20 anos, somando mais de 22 mil horas de atendimentos a profissionais em vários estágios de transição ou mudança de carreira. Também certificada como coach internacional e de equipes.

Mais conteúdo sobre:

carreiraMBAmudançavolta do MBA