As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

T – Temas para os essays

Claudia Gonçalves

11 Julho 2012 | 20h41

Bom, uma vez que você já pensou em como vai se posicionar frente às escolas de MBA e já escolheu para quais vai aplicar, chega a hora de ficar frente a frente com os essays e imaginar o que escrever em cada um. Algumas perguntas surgem:

1- O que as escolas esperam ler nos essays?

As escolas esperam ler essays que revelem quem você é e como e por quê você fez as coisas que conta ali. Não há um conteúdo especifico que as escolas prefiram. O que as escolas mais orientam e também é a mais pura verdade é: não importa sobre o quê esteja escrevendo, seja você mesmo. O essay mais clássico – ” quais seus objetivos de curto e longo prazo após MBA e porquê esta escola”  tem um tema bastante especifico em que a escola quer saber qual o caminho que você vai trilhar pós MBA, quais as oportunidades, do quê vai precisar, e especialmente, porquê você escolheu este caminho….Por exemplo, se quer ser empreendedor, procure mostrar qual foi o seu contato com o empreendedorismo – pode ser que você venha de uma família de empreendedores, ou ainda que você tenha participado de atividades que o estimularam – desde coisas pequenas como vender ou alugar joguinhos de vídeo game quando adolescente, até participar de atividades extra-curriculares na faculdade como empresa júnior, ajudar um amigo a desenvolver um business plan, ter participado de um concurso de novas ideias …enfim desde coisas mais obvias até coisas mais sutis em que você possa apoiar seu plano de carreira.

Outros essays clássicos pedem que você explore conquistas, coisas que fez bem ou não tão bem, quando superou expectativas. Além do tema de objetivo profissional, os outros temas gravitam em torno de se contar uma estória. Nestes essays, é importante escolher um episodio especifico, uma estória com começo, meio e fim. Essa estória pode vir de qualquer área de sua vida – profissional, acadêmica, esportiva, social. Em que âmbito a estória se deu não é tão relevante quanto o quê ela revela sobre você. Para escolher bem omix de estórias que vai contar, é importante que busque um equilíbrio entre aspectos profissionais e extra-curriculares (tudo o que fica fora da sua jornada de trabalho). As escolas têm interesse em conhecer você de maneira completa e é por isso que não se contentam em pedir seu CV e cartas de recomendação. Os essays devem revelar como você pensa e por quê faz as coisas.

A estrutura do tipo de essay do paragrafo anterior deve ser algo como: SAR  – situação – ação – resultado.  Primeiro descreva a situação – crie o clima – depois relate suas ações – o que você fez, detalhes, pessoas envolvidas – e finalmente os resultados – qual o efeito de suas ações? quem foi afetado? como as pessoas reagiram? o que você aprendeu ou como amadureceu?

O essay deve ter uma ideia central que deve ser simples e clara e que guia as suas frases ao longo do desenvolvimento da trama. Evite tentar estufar o essay com informações adicionais e não diretamente conectadas com o tema – um truque que já vi candidatos tentarem fazer para tentar se vender – mostrar que ganhou prêmios, ou dar mais informação de suporte do que o necessário….Bem, mas isso está com os dias contados pois as escolas estão tornando os essays cada vez mais curtos. Assim, cada palavra importa e deve dizer algo!

2- Quais assuntos são aceitáveis?   

Ao longo dos 18 anos em que venho apoiando candidatos ao MBA, já vi essays sobre assuntos dos mais diversos. Falar sobre como ajudou um irmão deficiente a aprender ler, como treinou um cavalo, ou mesmo sobre como perdeu peso, parecem temas totalmente fora do escopo para um application de uma escola de negócios, mas a verdade é que seus autores foram muito bem sucedidos e foram aprovados em  Harvard, Wharton, Stanford… O importante é que estes assuntos revelaram coisas fundamentais sobre eles: revelaram suas capacidades de lidar com adversidades, de perseverança e foco em atingir um objetivo, sua paixão ao fazer as coisas. Novamente, seja você mesmo e escolha contar o que achar que o representará melhor frente às escolas.

3- Como me vender?

Claro que cada um escreverá seus essays para se vender para as escolas. E esse pensamento pode ser tornar um risco caso você comece a imaginar o que a escola quer ” comprar”. Isso pode afastá-lo de ser autêntico. Considere como você se irritou quando algum vendedor tentou lhe vender algo tentando adivinhar ou mesmo que lhe dizer o que você queria…no caso das escolas, o mesmo acontece. Quando você tenta agradar a escola em detrimento de seu autêntico e mais espontâneo, vai perder pontos. O que vai vender melhor sua candidatura para a escola é sua autenticidade. Ser verdadeiro e mostrar como pensa, como age, quais seus valores – isso é o que vende de verdade. Imagine que a escola recebe milhares de applications – e algumas chegam a receber na casa de 8 a 10 mil!!! e imagine as pessoas do comitê de admissão lendo uma pilha de essays de diversas pessoas que tentam adivinhar e escrever o que elas querem ouvir!!!  cansativo e monótono…Por outro lado, imagine quando eles recebem um application com essays originais, em que eles podem ver o candidato em ação…esses são os essays vencedores!

Como o que mais importa é a autenticidade e genuinidade, evite ler essays de outras pessoas antes de evoluir um pouco nos seus. Quando sentir que seus essays já têm personalidade e que você já construiu a espinha dorsal de seu application, daí ler essays de outras pessoas pode ajudar a trazer conteúdo que você não imaginava ou lhe dar pistas de como abordar diversos temas em seu application, mas sem perder sua personalidade.

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

MBA essays application