Mude uma coisa para mudar todas as coisas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mude uma coisa para mudar todas as coisas

Paula Braga

26 de junho de 2019 | 11h25

Todo ano é igual.  Você inicia com  uma enorme lista de metas:

  • Tomar 2 litros de agua por dia.
  • Correr 30 minutos, três vezes por semana.
  • Ser mais assertivo na comunicação.
  • Ler um livro por mês.
  • Tirar 110 no TOEFL
  • Etc etc etc

 

Chega em Julho, o resultado é frequentemente igual também.  Nada feito ou, na melhor das hipóteses, alguns avanços aleatórios, sem grandes impactos.  Passada a inevitável fase de se culpar pelo avanço pífio, vale a reflexão: Por que isso ocorre?

  • Você é bem intencionado.
  • Você sabe o que precisa fazer.
  • Você até tem algumas estruturas de suporte (paga fielmente a mensalidade da academia, por exemplo).

 

Então qual o problema?

 

A resposta é simples.  Você e eu e a grande parte de meus queridos clientes, ao tentar fazer tudo, acabamos não nos comprometendo seriamente com nada.

 

Isso significa que devemos parar de sonhar/de querer as coisas?  De forma alguma.  (se achasse isso, eu deveria estar em outra linha de trabalho)

 

É sim possível atingir muitos  dos seus objetivos. Mas a maneira para fazer isso é um por vez.

 

Um antigo coach me dizia: “a maneira como você faz uma coisa é a maneira que você faz todas as coisas.” Por exemplo, se você deixa de se preparar para uma entrevista de emprego porque acabou se atrapalhando com a agenda e ficou tudo em cima da hora, você provavelmente deixa de se preparar para outras coisas por falta de horário também.  E se organizar sua agenda é um obstáculo, será um obstáculo no seu trabalho e na sua vida pessoal. Ficar melhor em gerenciar seu tempo é, portanto, um objetivo único que alavancaria melhorias em diferentes áreas de sua vida.

 

Marshall Goldsmith (MG),  o coach executivo #1 do mundo de acordo com Harvard Business School, sempre reforça que mudança de hábitos em adultos é das coisas mais difíceis no mundo. Difícil, mas não impossível.  Pelo contrário: mudar um comportamento é algo simples; o que não significa que é fácil.

 

Para ajudar, seguem algumas dicas:

 

  • Ao olhar todos seus objetivos do ano, pergunte-se: qual o comportamento chave que, se eu mudar, me ajudará a atingir todos meus objetivos? Não sabe responder isso?  Vá para dica 2.
  • Pergunte às pessoas ao seu redor (vulgo, peça feedback): o que você acha que eu faço bem? O que você acha que eu poderia fazer diferentemente (em termos de comportamento) para ser eficaz?
  • Selecionado um comportamento para mudar, faça uma lista dos 20 benefícios que você vai obter se mudar esse comportamento. Leia essa lista todos os dias pela manhã.
  • Agora que você já sabe qual seu comportamento gargalo e já tem motivação para correr atrás dele, peça (novamente) ajuda aos universitários: “o que você acha que eu poderia fazer daqui para frente para melhorar em relação àquele gargalo citado?” (MG chama isso de feedforward). O foco aqui é 100% no futuro.
  • Depois de receber sugestões de diferentes pessoas, selecione 1 ou 2 ações que você pode implementar nos próximos 30 dias e divulgue seu compromisso de implementa-las. O importante é criar um comprometimento público. Algo que vá além de uma promessa com você mesmo.
  • Estabeleça a periodicidade que você irá “prestar contas” com as pessoas selecionadas (no item 4). Uma vez por semana? Uma vez por vez?
  • Faça experimentos diários testando o comportamento novo (baseado na sugestão selecionada do item 5)
  • Repetir passos 3 e 6.

 

E só! É como eu disse: é simples…mas não é fácil.

 

Dizem que são necessários 21 dias para formar um novo hábito…quem quer tentar?

Quer ajuda para mudar comportamentos de maneira positiva e sustentável?

Entre em contato via paula@paulabraga.com.br

Tendências: