E – Empreendedorismo em Berkeley
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

E – Empreendedorismo em Berkeley

Claudia Gonçalves

10 Abril 2014 | 14h41

 

 

 

Empreendedorismo em Haas, Berkeley

A região de São Francisco, Califórnia, é famosa pela criação de novos negócios. Berkeley-Haas certamente contribui e se beneficia desse cenário. Berkeley-Haas é um dos mais renomados centros para o estudo e prática de empreendedorismo, tendo começado a dar aulas sobre o tema em 1970.  A escola tem quatro princípios regentes, um dos quais “questionar o status quo” é o mais citado pelos alunos que se envolvem com o empreendedorismo por lá.  Outros princípios regentes da escola são: “estudantes sempre”, “confiança sem arrogância” e “para além de si mesmo”.  A cultura da escola e a vocação empreendedora e inovadora da região oferecem uma vasta gama de oportunidades para inovar e empreender.

No MBA, tanto aulas como o aprendizado prático formam um ecossistema em que os alunos são treinados para lançar negócios escaláveis e como começar uma carreira em Venture Capital. O Vale do Silício também recebe muitos alunos e formandos para trabalhar em startups ou fundarem as suas.

A peça central nas atividades empreendedoras de Berkeley é o Lester Center for Entrepreneurship, que enfatiza e suporta a integração entre aprendizado acadêmico e pela experiência. Os interessados em desenvolver novas ideias de negócios têm quatro competições de negócios, o Berkeley Entrepreneurs Forum, cross-campus mixers, hackathons e reuniões. Todas essas iniciativas oferecem a oportunidade de reuniões com Venture Capitilts, empreendedores e líderes. A iniciativa conjunta UCBSA ( University of California Berkeley Startup Accelerator) no Skydeck – um programa co-gerido pelo Lester Center for Entrepreneurship, College of Engineering’s Center for Entrepreneurship and Technology, e UC Berkeley Vice Chancellor for Research – tem como objetivo lançar empresas que possam receber investimentos por serem negócios escaláveis.

Bolsas para empreendedores:

Brian Maxwell Fellows:

Criada em 2006, essa bolsa possibilita que alunos que tenham um sonho e a motivação para realizarem suas visões possam ter as oportunidades. O objetivo é identificar, ajudar e desenvolver mentes excepcionais que possam fazer a diferença. Cada ano, a instituição agracia até dois candidatos da Haas que possuam as mesmas características empreendedoras de Brian Maxwell: determinação, persistência, paixão, otimismo, coragem, força, criatividade, generosidade e humildade e ser pacífico. A bolsa dá 55 mil dólares para cada um dos dois anos do MBA em Haas.

Hansoo Lee Fellowship

Hansoo Lee, da classe de 2010, faleceu em março de 2013 após quinze meses de luta contra câncer de pulmão de não-fumantes. Hansoo fez seu MBA já totalmente focado em empreender e estimulou muitos de seus colegas a tomarem esse caminho. Co-fundador da Magoosh, Hansoo trabalhou em seu negócio no estágio de verão e com base no progresso da empresa durante o verão, decidiu dedicar-se a ela em tempo integral após se formar.

Ele acreditava que como comunidade, o network de Haas deveria fomentar o empreendedorismo como opção de estágio em tempo integral, dando aos alunos uma remuneração mensal e mentores para o verão (quando ocorrem os estágios no MBA, na passagem do primeiro para o segundo ano).

Para honrar sua memória, foi criado o Hansoo Lee Fellowship, que oferece:

– remuneração de verão entre $ 5 e 10 mil dólares;

– mentoria de uma alumnus de Haas

– escritório para começar o negócio

As atividades, competições, programas em torno do empreendedorismo são muitas e algumas especializadas em setores. Intel Global Challenge; NSF Innovation Corps; Berkeley Entrepreneurship Forum; Best Practice Series; Social Entrepreneurship; Biotech & Life Sciences; Cleantech & Energy; IT & Web; Venture Capital são as principais delas. Além disso ainda há o programa Open Innovation e o BILD (Berkeley Innovative Leader Development).

 

O NSF é uma novidade fantástica para os alunos que já foram picados pelo bichinho do empreendedorismo. A UC Berkeley e UC San Francisco uniram-se a Stanford para colaborar num programa educacional cujo objetivo é comercializar pesquisa acadêmica e fomentar inovação tanto na região quanto nacionalmente, graças a uma doação de $3,75 milhões de dólares da National Science Foundation. O objetivo do I-Corps é aumentar o impacto da pesquisa financiada pela instituição através da formação de ecossistemas de inovação dentro das universidades que treinarão a próxima geração de empreendedores, do encorajamento de parcerias entre academia e indústria, e da comercialização de ciência e tecnologia.

 

São muitas as iniciativas e oportunidades de experimentar e aprender sobre empreendedorismo em Berkeley. Para aqueles que buscam este caminho seja no curto prazo logo após o MBA ou mais para frente, vale a pena checar o que a escola oferece.

Mais conteúdo sobre:

BerkeleyempreendedorismoMBA