Teatro de sombras entretém os alunos durante a pandemia

Teatro de sombras entretém os alunos durante a pandemia

Colégio Marista Glória

15 de abril de 2020 | 10h21

Ação desenvolvida pelas redes sociais usa a arte para aproximar a família

Devido ao contexto de distanciamento social, o Núcleo de Atividades Complementares (NAC) do Colégio Marista Glória tem elaborado algumas propostas de atividades que podem ser desenvolvidas em casa para que os alunos mantenham o vínculo as atividades extracurriculares e, ao mesmo tempo, possam dar continuidade às atividades físicas e artísticas para manterem-se saudáveis.

A professora de teatro Talita Peras, propôs uma ação em que os alunos construíssem e/ou contassem uma história usando o teatro de sombras, com o tema escolhido por eles. Os estudantes também poderiam sugerir a participação das famílias na atividade.

O teatro de sombras é uma arte milenar e teve sua maior divulgação a partir dos povos do Oriente. Ele se utiliza de marionetes feitas de diversos materiais e são manipulados por varetas. A sombra da marionete é refletida em uma tela branca. “O trabalho é muito importante para as crianças, pois ajuda no desenvolvimento da coordenação motora, imaginação, oralidade e raciocínio rápido”, explica Talita.

Um dos trabalhos de destaque foi da aluna Ana Beatriz Caproni, do 4° ano do Ensino Fundamental. A aluna utilizou como tema do seu teatro de sombras algumas dicas de prevenção contra o Covid-19. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais do colégio.

Segundo Rafaela Jorge de Oliveira, coordenadora do NAC, outro fator importante nas tarefas domiciliares é a interação entre a família e o estudante. “Esse, de fato, tem sido um ponto positivo. É um tempo para que pais e filhos possam estar juntos, aprendendo, criando, compartilhando experiências e o conhecimento e a participação é de suma importância no processo de ensino-aprendizagem. As habilidades sociais, comportamentais e intelectuais são ampliadas quando a família acompanha o desenvolvimento escolar”, destaca.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.