Programas de imersão na língua inglesa estimulam e facilitam o aprendizado

Programas de imersão na língua inglesa estimulam e facilitam o aprendizado

Colégio Marista Glória

16 de fevereiro de 2022 | 13h26

Experiências culturais, acadêmicas, artísticas ou esportivas são fundamentais no aprendizado do idioma

O ensino da língua inglesa passou a ser obrigatório a partir do 6º ano do ensino fundamental em 2020, como estava previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que estabelece o mínimo que deve ser ensinado em todas as escolas brasileiras. Até então, as instituições de ensino tinham que ofertar algum idioma estrangeiro, mas não necessariamente a língua inglesa.

Dados do instituto cultural British Council, organização internacional do Reino Unido que promove a cooperação com países parceiros em áreas como educação, artes e sociedade, afirmam que apenas 5% da população brasileira sabe se comunicar em inglês e, destes, apenas 1% tem realmente fluência. Com isso, o Brasil fica em 41º colocado em um ranking de 70 países.

“O inglês é uma língua franca. Portanto a sua naturalização ajuda o falante a se expressar de forma mais profunda e diversa em qualquer lugar do mundo, além de facilitar o processo de apropriação e internalização do idioma”, explica o coordenador de Internacionalização do Colégio Marista Glória, Thiago Cataldi Carreiro.

O colégio criou um programa de imersão na língua inglesa através de atividades e experiências culturais, acadêmicas, artísticas ou esportivas, propondo o desenvolvimento de habilidades que vão além do convencional, denominado Immersion.

Ele tem o objetivo de criar uma atmosfera imersiva que estimule a aprendizagem do idioma dentro de modalidades esportivas e culturais, resultando em uma vivência completa e trazendo para o aluno uma experiência inigualável e transformadora, pois coloca o ensino da língua inglesa como natural e prazeroso.

Dessa forma, as atividades extras dentro do programa estimulam o conhecimento dos alunos, servindo como fator motivacional e intuitivo. Seus principais componentes são o Liberal Arts, que visa conectar o aluno na modalidade de mesmo nome, que será um núcleo de criação artística atrelado ao universo da língua inglesa, desenvolvendo pensamento crítico e criativo, permeando em áreas como: literatura, cultura, artes, tecnologia e mídias sociais e a NBA School, metodologia do basquete a partir de um programa reconhecido internacionalmente.

“O programa fará com que os alunos se conectem e sintam que a língua é pertencente a eles, através de atividades que lhes tragam prazer”, frisa o coordenador.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.