Museu na Espanha exibe obras de alunos do Colégio Marista Glória sobre Direitos Humanos

Museu na Espanha exibe obras de alunos do Colégio Marista Glória sobre Direitos Humanos

Colégio Marista Glória

21 Dezembro 2018 | 06h00

Depois de passar pela sede da ONU, na Suíça, os trabalhos de estudantes do 7º e 8º da escola de São Paulo farão parte de acervo pioneiro em divulgar arte infantil no mundo

Selecionados entre aproximadamente 17 mil trabalhos enviados para o concurso de desenho Kids 4 Human Rights, as obras de dois alunos do Colégio Marista Glória, de São Paulo, passam a integrar no final de dezembro a coleção permanente do Museu de Arte Infantil da Rainha Sofia, na Espanha. Criado pela Fundação Gabarrón no ano de 2002, em Valladolid, o espaço é uma das primeiras pinacotecas do mundo a abrigar um acervo com cerca de 50 mil pinturas de crianças que reforçam a defesa dos valores da infância em diferentes países. Em 2019, o museu espanhol abrirá uma sucursal na China.

Os trabalhos produzidos a lápis e com muita criatividade pelos estudantes Eric Susuki Schliemann, de 12 anos, e Maria Helena Zardo, de 13, trazem mensagens de paz e falam da importância das boas atitudes na convivência entre diferentes etnias. As obras também prestam homenagens a ícones como Noura Ghazi, Malala Yousafzai, Zilda Arns, Herbert de Souza (Betinho), Martin Luther King e Mahatma Gandhi. Os desenhos foram recentemente expostos pela ONU no Palácio das Nações em Genebra, na Suíça.

As obras brasileiras também fizeram parte de uma outra exposição em celebração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos na Embaixada Espanha em Bruxelas, na Bélgica. Além de ter sua ilustração entre as finalistas do Kids 4 Human Rights, o aluno Eric ainda recebeu uma menção honrosa na categoria Como posso defender ou promover os direitos humanos e um certificado da Fundação Gabarrón.

Disputado internacionalmente 

Convocado no começo deste ano pelo Serviço de Informação da Organização das Nações Unidas (ONU), pela Fundação Gabarrón e pelo Escritório do Alto Comissário para os Direitos Humanos (EACDH), o Kids 4 Human Rights faz parte das comemorações do aniversário do documento que definiu em 1948, pela primeira vez na história, que os direitos fundamentais devem ser protegidos universalmente. “A Declaração Universal dos Direitos Humanos é tão relevante hoje quanto no dia de sua proclamação”, reforça o artista espanhol Cristóbal Gabarrón, criador do concurso.

Kids 4 Human Rights 2018 contou com a participação de crianças de 71 países para expressar suas opiniões sobre o tema. Divididos em três categorias principais, nove jovens com idades entre 10 e 14 anos da Austrália, Bangladesh, Bolívia, Canadá, Estados Unidos, Irã, Portugal e Tailândia, ganharam os principais prêmios da disputa ao desenhar ou pintar os defensores dos direitos humanos que eles mais admiram e destacar aqueles direitos que eles mais se sentem motivados a defender no futuro.

A proposta da participação dos alunos do Colégio Marista Glória neste concurso internacional partiu das professoras Rita Gati, de Ensino Religioso, e Márcia Querino, de Artes. “O tema sobre direitos humanos permeia o nosso cotidiano. Acredito que nossos alunos conseguiram traduzir bem esse conceito por meio do desenho e tiveram um resultado muito positivo nesta grande disputa de talentos”, afirma Márcia, que ofereceu todo o apoio necessário durante suas aulas.