Grupo de alunos do Colégio Marista Glória refunda Grêmio Estudantil que remonta ritos eleitorais

Grupo de alunos do Colégio Marista Glória refunda Grêmio Estudantil que remonta ritos eleitorais

Colégio Marista Glória

19 de março de 2019 | 16h07

Em consonância com os princípios cristãos e as virtudes do bom cidadão, escola do Cambuci promove protagonismo jovem

Alinhado com a proposta da Campanha da Fraternidade 2019, que tem como tema “Fraternidade e Políticas Públicas”, o Colégio Marista Glória apoia a iniciativa de organização do Grêmio Estudantil Nossa Senhora da Glória (GENSG) ao estimular seus estudantes na discussão de seus direitos e deveres. Desde o início do ano, os estudantes dessa tradicional escola do Cambuci convocaram uma assembleia com todas as turmas para aprovar seu estatuto e organizarem a primeira eleição para escolha da diretoria. A cerimônia de posse da diretoria, que representará os interesses dos alunos e alunas do Ensino Fundamental e Ensino Médio, está marcada para 5 de abril e contará com a presença dos pais, responsáveis e demais convidados dos representantes eleitos.

As atividades dos estudantes representam, para muitos jovens, seus primeiros passos na vida política. Assim, essas organizações estudantis, sem fins lucrativos, contribuem para sua formação humana e para o enriquecimento educacional fora da sala de aula. O GENSG incentiva e orienta muitas das lideranças do colégio, reunindo um conjunto de práticas que articulam conteúdos pastorais, harmonizando fé, cultura e vida para desenvolver uma interlocução solidária entre os diferentes protagonistas dos espaços escolares.

Atuando nessa organização, os alunos e alunas experimentam o exercício da cidadania, além de organizar debates, incentivar torneios esportivos, produzir apresentações teatrais, festivais de música e literatura, entre outras atividades sociais. Ao incentivar e proporcionar as organizações estudantis nos espaços, a escola e a Rede Marista de Colégios (RMC) respondem ao seu compromisso histórico de educar as crianças e adolescentes para o exercício da cidadania segundo os princípios do cristianismo. Desde 1985, a organização e funcionamento dos grêmios estudantis estão assegurados pela Lei nº 7.398, como entidades autônomas de representação.