Estudantes produzem livro em braille utilizando impressora 3D

Estudantes produzem livro em braille utilizando impressora 3D

Colégio Marista Glória

20 de dezembro de 2019 | 14h58

Alunos do Marista Glória se sensibilizam com a história de uma menina cega e se unem para elaboração da obra

Durante o desenvolvimento de um Projeto de Investigação do Marista Glória os alunos do Infantil 4 criaram uma história para ser transformada em um livro em braille, que será produzido em uma impressora 3D.

Um dos alunos da turma tem uma prima cega e percebeu que ela utilizava um sistema diferente para fazer a leitura. Por isso, trouxe a ideia para a docente Catarina Manoela Ferreti Bueno, sua auxiliar Ariel Iolanda e para seus colegas terem a oportunidade de conhecer melhor a linguagem utilizada pela prima. Os alunos produziram, com a colaboração da Tecnologia Educacional do Colégio, um livro em braille sobre um menino chamado João que vai passear no parque, encontra um cachorro com a pata quebrada e o ajuda.

“Os projetos de investigação são utilizados para que as crianças sejam protagonistas de suas aprendizagens, elaborando e investigando hipóteses sobre o ambiente em que vivem. A partir das curiosidades e discussões dos estudantes, é escolhido um tema para investigação”, explica a professora Catarina.

Por meio da investigação, os alunos percebem o mundo, as relações que nele se estabelecem, e constroem conhecimentos. “Após compreenderem como é o sistema braille, eles passaram a produzir a história. Assim que o livro estiver pronto, o enviarão para a prima do colega de classe, que vive no Estado do Sergipe”, afirma a docente.

39 milhões

Estima-se que a cegueira afete 39 milhões de pessoas em todo o mundo e que 246 milhões sofram de perda moderada ou severa da visão. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) e constam no recente documento “As Condições da Saúde Ocular no Brasil 2019”, elaborado pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Apesar disso, o cálculo da entidade, baseado em índices do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de que 1.577.016 de indivíduos sejam cegos, o equivalente a 0,75% da população nacional.

O braille

Braile, ou braille, é um sistema que permite aos cegos ler e escrever. O método recebeu esse nome em homenagem a seu inventor, o francês Louis Braille.

O sistema braile, ou sistema de braille, é um código de 63 padrões de pontos, chamados de caracteres. Cada um deles representa uma letra, uma combinação de letras, uma palavra comum ou um sinal gramatical. A pessoa os lê tocando-os levemente. Quando precedidas de um sinal de número, as dez primeiras letras do alfabeto são lidas como números.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: