Crianças de instituição social recebem presentes de Natal

Crianças de instituição social recebem presentes de Natal

Colégio Marista Glória

14 de dezembro de 2018 | 17h23

Como parte das celebrações de fim de ano, corrente de solidariedade do Colégio Marista Nossa Senhora da Glória prepara doações e visitas a instituições sociais

Para reforçar ensinamentos sobre solidariedade, empatia e cidadania, o Colégio Marista Nossa Senhora da Glória, localizado na região central de São Paulo (SP), reúne pais, responsáveis e alunos numa campanha de apadrinhamento nesta época de Natal. A ação beneficia 200 crianças atendidas por quatro instituições sociais do entorno do Colégio

Durante os meses de novembro e dezembro, o Núcleo de Pastoral, atuante no Colégio, convida pais e responsáveis a apadrinhar uma criança carente. De posse das informações sobre idade, tamanho e gostos pessoais do afilhado eles preparam um kit presente, incluindo roupas, calçados e brinquedo. Os alunos do Colégio separam, organizam os kits e embrulham os presentes, ao mesmo tempo em que são estimulados a refletir sobre o próximo, desenvolvendo a consciência da responsabilidade social.

Participam os alunos do Colégio, de todas as faixas etárias, desde a Educação Infantil, passando pelo Ensino Fundamental, ao Ensino Médio. O objetivo é estimular a solidariedade, considerada um dos pilares da filosofia da Rede de Colégios Marista. Também atuam na campanha a Pastoral Juvenil Marista (PJM) e a Equipe de Solidariedade Marista Glória, composta por pais e funcionários do Colégio.

Reflexão

A gestora da Equipe de Solidariedade do Colégio, Regina Pinheiro explica que a ação é uma forma de trabalhar a empatia com os estudantes. “Ensinar a colocar-se no lugar do outro é um valor que se adquire com esses movimentos. O fato de doar transforma a maneira como os alunos veem seus pertences e, a partir disso, refletem melhor a questão do consumismo tão presente nesta época do ano”, analisa Regina.

Os presentes foram entregues hoje, 14 de dezembro, em visita dos alunos, famílias e docentes às instituições. Para o coordenador da Pastoral Wagner Botelho dos Santos, esse momento será uma oportunidade de vivência social enriquecedora. “As visitas são muito aguardadas pelas crianças, tanto pelas que doam quanto pelas que recebem, o que prova que a solidariedade é um benefício mútuo, que faz bem aos dois lados”, completa.