Um novo olhar sobre o uso de dispositivos móveis

Um novo olhar sobre o uso de dispositivos móveis

Escola Lourenço Castanho

08 Junho 2016 | 15h28

O Bett Brasil Educar chegou! Do dia 18 a 21 de maio no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center. Fábia Antunes, Diretora de Currículo da Escola, ministrou sua palestra na tarde do dia 18, no eixo de Práticas Escolares Efetivas e Inovadoras.

A participação de Fábia contribuiu para as discussões sobre o uso de dispositivos móveis nas escolas. Em sua fala, ela introduziu dois modelos de uso dos dispositivos móveis utilizados na Lourenço Castanho: SAMR (Substituição, Ampliação, Modificação e Redefinição) e Fluência Digital. Para exemplificar, foram apresentados os projetos Tiny Tap, Sistema Solar, Popol Vuh e Representações da Literatura em Vidas Secas e Lisbela e o Prisioneiro. Cada projeto representava uma unidade da Escola.

O modelo SAMR refere-se às quatro formas que os professores têm de incorporar a tecnologia na sala de aula. O “S” de Substituição é autoexplicativo: significa, basicamente, abolir um elemento educacional não tecnológico, como por exemplo o livro didático, e substituí-lo por um agente tecnológico com a mesma função, seja ele um tablete, computador ou smartphone. Ampliação é promover uma melhoria funcional por meio do uso de tecnologia, tornar uma tarefa mais interativa e elaborada com o uso de um dispositivo digital. Modificação é a possibilidade de incluir no processo de aprendizado novos recursos excedentes que somente se tornam possíveis com o uso da tecnologia. E Redefinição é o novo significado atribuído ao aprendizado por meio de possibilidades que a tecnologia oferece como, por exemplo, o compartilhamento de informações e os feedbacks interativos de pessoas conectadas nas mais variadas partes do mundo.

A Fluência Digital é o modelo utilizado pela Escola para o uso de dispositivos móveis, uma vez que prevê três ações básicas pertinentes a nossa proposta pedagógica: consumo, criação e compartilhamento de conteúdo. Por meio desses pilares, os alunos são capazes de adquirir autonomia sobre o processo de aprendizado.

Os dispositivos móveis estão muito presentes na vida das pessoas nos dias de hoje. Para Fábia, o importante é ter um novo olhar sobre os dispositivos dentro da Escola, “atribuir significado e criticidade em relação às informações e influências desses dispositivos em nossas vidas”. Criar e compartilhar através de dispositivos é muito importante para a formação dos alunos, uma vez que no mundo fora dos muros da Escola, apenas o consumo é incentivado.

A palestra que se destacou, ainda, no segmento de Práticas Escolares Efetivas e Inovadoras, na opinião de Fábia, tratou do uso de ferramentas digitais para prática do professor: um método de organização (digitalizado) que prevê exercícios personalizados — cada estudante pode escolher a sequência dos enunciados que deseja resolver, de acordo com o seu nível pessoal de dificuldade, o que aumenta o engajamento do aluno com a tarefa.

Confira o trabalho do Ensino Médio apresentado no evento:

http://padlet.com/duda_q88/snx9i7nrkke2

http://padlet.com/marcelo_ferreira_ismart/rgvkna2ghpva

http://padlet.com/vgtedeschi/ooqqe597yirw