Aprendendo sobre os povos indígenas do Brasil

Escola Lourenço Castanho

06 Abril 2017 | 20h00

Para aprender sobre a cultura dos povos indígenas no Brasil, no componente curricular de Ciências Humanas, os alunos do 4º ano realizaram, em 2016, pesquisas, debates e apresentações sobre o tema.

Com discussões coletivas a partir de notícias jornalísticas que abordavam os conflitos entre indígenas e não índios em áreas urbanas e rurais, gerou-se a seguinte indagação: “Antes da chegada dos portugueses, como devia ser a vida dessas populações, nesse território que, hoje, chamamos de Brasil?”  Assim, deu-se início às atividades.

Após debates, os alunos se dividiram em grupos para organizarem uma sequência de imagens, retiradas do livro, A Árvore do Brasil, de Nelson Cruz. Essa atividade fez com que a turma procurasse conceitos de mudanças e permanências e destacasse a possibilidade de reconhecer nas imagens elementos característicos da área urbana ou a ausência deles, para caracterizar a área rural.

Enfatizou-se, também, os costumes da vida indígena, como a integração com a natureza, utilização de materiais naturais e o uso de pouca vestimenta e adereços.

Partindo dessa discussão, a questão “O que é ser índio?” foi abordada. As hipóteses levantadas pelos alunos foram registradas no computador e impressas para que posteriormente pudessem conferir, ao longo do estudo, se as anotações se confirmaram ou se refutaram.

Para entender a identidade dos povos indígenas, a turma explorou o site PIB Mirim (Povos Indígenas no Brasil), que apresenta diversos aspectos do assunto. A pesquisa se deu com os seguintes passos: o que são populações originárias? De onde vem a palavra “índio”? O que faz de alguém um índio? O que todos os povos indígenas do continente têm em comum? Como vivem?

Ampliando ainda mais o repertório sobre o assunto com questões de alimentação, moradia e divisões de trabalho, os alunos participaram de uma leitura, discussão e exercícios sobre o texto “Coisas de Índio” do escritor Daniel Munduruku.

Também assistiram a alguns vídeos disponíveis do “Projeto Território Brincar” que permitiu uma aproximação do cotidiano das crianças Panará. Com isso, houve uma reflexão sobre os elementos da cultura indígena que são apreendidas pelas brincadeiras, tais como: proximidade com os animais da floresta; intimidade das crianças com a mata e com os rios; autonomia das crianças para produção dos próprios brinquedos etc.

Aprofundando a reflexão, a reportagem “Índios Baré lutam por educação” foi lida para abordar as diferentes modalidades da educação indígena e para pensar sobre as dificuldades que esses povos enfrentam para terem acesso à cultura letrada e para a manutenção da cultura tradicional.

Animações também foram apresentadas, a exemplo de “Como nascem as estrelas” do povo Bororo, para salientar aspectos de identidade e cultura para os alunos, além de mostrar que os mitos e as lendas tradicionais são fontes de conhecimento que orientam o dia a dia e convivência na aldeia.

Concluídas essas atividades, a turma voltou-se para a questão: O que é ser índio? Juntos, produziram um texto coletivo com todas as reflexões acerca do assunto, que posteriormente serviu de introdução para o caderno de estudos que foi apresentado em etapa seguinte.