Reconstrução do Centro Cultural serve de área de estudo para alunos de Edificações

Reconstrução do Centro Cultural serve de área de estudo para alunos de Edificações

Liceu Escola

16 Março 2016 | 14h39

 

 

A reconstrução do Centro Cultural do Liceu de Artes e Ofícios tem servido de área de estudo para os alunos do curso técnico em Edificações aprimorarem seus conhecimentos na área.  No segundo semestre de 2015, eles puderam entrar em contato com várias etapas de um processo de construção. Já neste ano, uma nova visita apresentou a eles novas etapas da obra.

 

Sobre as visitas

A primeira visita realizada no segundo semestre de 2015 permitiu aos alunos acompanharem na prática diversos temas debatidos em sala de aula, entre eles: o de demolição do edifício antigo, análise das estruturas anteriores, sobretudo da fundação, limpeza do terreno, movimentação de solo e reaproveitamento de material utilizado na época de sua construção, que servirá como registro histórico do projeto original.

 

Para o professor e coordenador do curso, Diogo Guermandi, todos tópicos foram importantes, mas a análise da fundação do edifício original merece destaque. “Essa fundação não utilizava concreto armado, eram apenas estacas de madeira e arcos de alvenaria subterrâneos. Este tipo de fundação não se utiliza mais e sua visualização contribuiu na compreensão do processo histórico das diferentes tecnologias da construção”.

 

Este ano, com a retomada do projeto, os alunos fizeram uma segunda visita e puderam analisar: as estacas já cravadas; a forma dos Blocos de Fundação; a produção da armação dos blocos; como é o estoque do aço e como chega na obra (etiquetado e separado). A alteração na estratégia das estacas próximas a fachada preservada também serviram de estudo, já que, devido à chuva e a vibração do bate-estacas ela começou a ceder e optou-se por estacas Raiz. A última análise ficou por conta do monitoramento realizado pelos engenheiros para saber se a fachada estava cedendo e como foi feito o escoramento da fachada.

 

Para o aluno Luan Flores Andrade as visitas às obras estão sendo muito construtivas.  “Do ponto de vista educacional elas me permitem ver de primeira mão o dia a dia de uma construção que está acontecendo literalmente do nosso lado. Além disso, porque passamos muito tempo dentro da escola, criamos um forte laço afetivo com ela e isso nos deixa ainda mais curiosos para saber o que se passa por lá e ansiosos para ver os resultados”, conta animado. Outra aluna envolvida no projeto, Jade Satyko Hatanaka Marques faz seu destaque para o aspecto cultural do lugar. “Fiquei super feliz porque só visitei o Centro Cultural uma vez e agora estou descobrindo aspectos da sua estrutura. Estou bem ansiosa para presenciar todo aquele leque de cultura novamente”.

 

Segundo o professor Fernando Ribeiro, que acompanhou os alunos na segunda visita, a ideia é sempre integrar os conteúdos de sala de aula com a prática. “A Instituição acredita que é dessa forma que o conhecimento se consolida, ainda mais sendo uma obra tão próxima e com possibilidade de visitas frequentes e abordando diferentes assuntos da área”, finaliza.

 

As visitas à obra de reconstrução fazem parte do conteúdo dos alunos de Edificações desde o primeiro ano no Liceu. O objetivo principal é que os alunos, já no início do curso, tenham contato com o que a escola prioriza e valoriza: a relação entre teoria e prática. Já fez parte do programa desenvolvido pela escola visita a obras de empresas como Even e Método.

 

Além de visitarem à obra, este ano um grupo escolheu a reconstrução como tema do Trabalho final de curso.

 

Confira abaixo fotos da visita à reconstrução do Centro Cultural. Todas as fotos se referem à fundação da obra