Culinária na escola exercita trabalho em equipe e auxilia aprendizado

Culinária na escola exercita trabalho em equipe e auxilia aprendizado

Do Colégio

10 Agosto 2016 | 15h57

Programas de culinária se tornaram uma verdadeira febre no Brasil, não só entre os adultos. Cozinhar está na moda, e até reality show voltado às crianças atrai novos interessados. Outra opção, para grandes e pequenos, é matricular-se num dos vários cursos de gastronomia – para iniciantes, praticantes amadores, candidatos a futuros chefs. O Liceu Santa Cruz foi uma das escolas que introduziram o assunto entre os seus cursos extraclasse com o “Cozinhando na Escola”, que oferece aulas aos estudantes desde março. Para começar, os alunos recebem um kit que lembra aqueles usados pelos profissionais: dólmã bordado (uniforme oficial dos chefs), caderno de anotações, fichário para as receitas, sacola individual para armazenamento da rouparia e caixa técnica do curso, além de alguns alimentos e temperos.

Mesmo principiante, é impossível não se encantar pelo aroma dos temperos, o colorido dos legumes e a magia de ajudar a preparar os alimentos. Mas os benefícios vão além do cheirinho bom e do apetite aguçado. As aulas tornam-se uma ferramenta no aperfeiçoamento das habilidades sociais, no convívio e no aprendizado de outras disciplinas. Por exemplo, pesar ingredientes pode ajudar na matemática e observar as mudanças nas texturas dos alimentos quando um ingrediente é colocado reforça os conceitos de química. Novas palavras também entram para o vocabulário, além do contato com outras culturas e origens dos alimentos.

Alunas se preparando para a aula do Cozinhando na Escola: Foto: Divulgação

Alunas se preparando para a aula do Cozinhando na Escola: Foto: Divulgação

Nas aulas de culinária a criança pode exercitar o trabalho em equipe, a capacidade de organização e de seguir orientações, a paciência, além de se conscientizar sobre lixo, desperdício, cuidado e respeito à natureza. “Além das habilidades desenvolvidas ao longo do curso, também ampliamos, com essa vivência, o olhar dos alunos sobre a existência de outras carreiras profissionais”, comenta a diretora do Liceu Santa Cruz, Mirna Eloi Suzano.

O Liceu conta hoje com duas turmas do “Cozinhando na Escola”, uma no período da manhã e outra no período da tarde, com 20 alunos cada. Para acompanhar todo o conteúdo teórico e as receitas é necessário saber ler, por isso os alunos têm entre 8 a 14 anos. Adri Vicente Junior, consultor no segmento de gastronomia, é o coordenador do curso. “Queremos despertar o interesse do aluno pela boa alimentação. Por meio do conhecimento e manipulação dos alimentos estimulamos o trabalho em equipe, o desenvolvimento de valores como a criatividade, a importância do planejamento e o controle de qualidade dos alimentos in natura e manipulados. Dessa forma as crianças perdem o preconceito experimentando novos sabores, além de conhecer a procedência daquilo que se ingere”, relata.

Nas aulas os alunos aprendem a manipular os alimentos e objetos da na hora de cozinhar. Foto: Divulgação.

Nas aulas os alunos aprendem a manipular os alimentos e objetos da na hora de cozinhar. Foto: Divulgação.

O curso acontece de março a novembro. No primeiro semestre as turmas passam por uma avaliação e começam a preparar refeições sempre com auxílio do professor. No segundo semestre iniciam manipulação e corte de alimentos. “Muitos acreditam que de uma hora para outra se tornarão chefs de cozinha. Mas então eles entendem que é um trabalho que exige estudo, dedicação e paciência. No final do curso os cinco melhores alunos da turma têm a oportunidade de conhecer de perto a rotina da cozinha de um restaurante”, finaliza Adri Vicente Junior.