O balanço da pandemia na gestão escolar
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O balanço da pandemia na gestão escolar

Instituto Singularidades

22 de dezembro de 2021 | 13h55

Quando tratamos do impacto que a pandemia deixou na educação, a primeira imagem que nos vem à mente são as salas de aula, com alunos e professores. Atuando nos bastidores, mas não de forma menos relevante, os gestores também tiveram que adaptar-se à nova realidade do ensino e do trabalho remoto e híbrido, mergulhando na aprendizagem de novos processos e inovações que antes não eram parte de seu dia a dia.

 

O uso da inovação pode trazer muitos benefícios para a gestão escolar. Imagem: Pixabay

 

Segundo o professor, consultor e pesquisador George Stein, conciliar as rotinas da gestão, de estar atento às demandas da comunidade escolar e, ao mesmo tempo, manter-se em contato com formas de ensinar e aprender mais colaborativas foi um grande desafio.

“Ao adequar a oferta da escola nessa época de pandemia, lidamos com os desafios de cuidar da saúde da comunidade escolar, de incorporar efetivamente as tecnologias educacionais no processo de aprendizagem e também buscamos uma sustentação financeira e relacional viável para a escola”, explica.

Além de pensar na sustentabilidade e na saúde financeira da escola, a maior parte dos desafios do gestor escolar se refere a lidar com pessoas, seja presencialmente ou por meio de plataformas digitais.

 

Inovação como apoio

Após mais de 1.5 ano de distanciamento social, a rotina de reuniões, discussões, trabalho remoto e jornadas mais longas — compartilhadas com o cuidado consigo mesmo e com a família — causou extremo cansaço em grande parte dos profissionais da educação.

“Talvez o maior desafio tenha sido mesmo o da exaustão, não só de pais e alunos, mas também de professores e funcionários. E o gestor escolar, ainda mais exaurido pelo paradigma da velocidade para dar conta de tudo e ainda responder de forma inovadora às mudanças, se perdeu na falta de uma rede de apoio e também na falta de cuidado consigo mesmo”, sinaliza o professor George.

Para que a escola siga um processo contínuo de aprendizagem e transformação institucional que também preveja o cuidado e o desenvolvimento desses gestores, é necessário usar a inovação a favor da gestão escolar, aponta o docente.

“É crucial que o gestor escolar atue de forma inovadora para seguir formando as novas gerações, levando em conta habilidades de comunicação, empatia, diálogo e colaboração, e viabilizando as transformações necessárias, tanto no nível individual como coletivo”, aponta.

Quando se fala de inovação na gestão, não se trata apenas de utilizar tecnologias digitais ou ferramentas on-line. Desta forma, como o gestor educacional pode colocar em prática novos níveis de cuidado que abram espaço para o aprendizado e a transformação?

“Acreditamos em novas atitudes e competências que tratam não só de tecnologias digitais, mas principalmente de tecnologias sociais, que envolvam abordagens de gestão da inovação voltadas à complexidade e que englobam práticas de diálogo, colaboração e tomada de decisão coletiva”, conclui o professor.

 

Para saber mais: http://institutosingularidades.edu.br/novoportal/
Entre em contato: singularidades@singularidades.com.br

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.