Inverno atípico e crise hídrica: veja como assuntos podem entrar na escola

Inverno atípico e crise hídrica: veja como assuntos podem entrar na escola

Rafaela Barbosa, especial para o Estadão

02 de julho de 2021 | 20h29

O inverno que começou agora no dia 21 de junho deve ser menos chuvoso e ter temperaturas mais elevadas do que a média, apesar do frio que atingiu parte do País nesta semana. O motivo para isso? Segundo cientistas, intervenções humanas no meio ambiente estão entre as razões para esse inverno atípico no Brasil. Duas delas são antigas conhecidas: o desmatamento e o aquecimento global, assuntos que podem ser abordados do fundamental 1 ao ensino médio.

Em junho, Amazônia teve maior número de queimadas para o mês desde 2007. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Coordenadora de Geografia do Colégio Objetivo, Ana Paula Campolongo explica que o inverno já costuma ser mais seco, ou seja, a alteração faz parte da dinâmica do nosso planeta. Mas que a situação no País pode ter sido agravada pela perda de cobertura de mata na floresta Amazônica e o aquecimento global.

A falta de chuvas no inverno de 2021 não veio em uma boa hora e pode provocar a pior crise hídrica no Brasil em 91 anos. Isso significa que existe a possibilidade de ocorrer racionamento de água em algumas regiões. Além disso, há impacto forte também no preço cobrado pela energia elétrica. Isso porque 67% da energia gerada no Brasil vem de fontes hídricas, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O desmatamento dos biomas brasileiros e o grande volume de gado no País são apontados como dois grandes problemas para Carolina Grottera, doutora em Planejamento Ambiental e Energético e professora da UFF. Diferentemente de outros lugares do mundo, onde a queima de combustíveis fósseis é maior, o Brasil tem uma matriz energética baseada em hidroeletricidade. Essa característica diminui o volume de gases de efeito estufa lançados na atmosfera como o metano e o gás carbônico.

Entretanto, o número de queimadas vem aumentando ao longo dos anos. Segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) e do Woodwell Climate Research Center, a expectativa é que julho e setembro de 2021 sejam os meses com maior volume de queimadas na região. No Cerrado, junho teve 4.181 focos de incêndio, 20% a mais do que no mês anterior.

O desmatamento está ligado à criação de animais para consumo humano. Segundo a especialista, o desmatamento para áreas de pastagens combinado com os gases produzidos pelos bovinos deve ser repensado. “O consumo de carne emite duplamente no Brasil.”

Movimento da terra

O planeta faz dois movimentos importantes. A rotação, que é o movimento que a Terra faz no próprio eixo marcando os dias e as noites, e a translação, que é o movimento que a Terra faz em torno do sol e marca as estações do ano. A translação também serve para indicar a duração de um ano inteiro na Terra.

Ana Paula, do Objetivo, explica que essa mudança no clima é menos perceptível no Brasil pela localização do País no globo terrestre. Segundo ela, a proximidade do território com a linha do Equador faz com que a diferença entre uma estação e outra seja mais sutil do que nas zonas temperadas, onde as mudanças acontecem mais nitidamente, inclusive na paisagem. “O que marca realmente o nosso inverno é que chove menos, então a gente tem uma outra percepção dependendo do lugar que a gente está.”

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

Atividade 1:

Trabalho em grupo – Biomas do Brasil
O professor deve separar a turma em grupos que vão pesquisar os Biomas brasileiros. O objetivo é que cada grupo pesquise um bioma diferente e apresente aos colegas de classe o resultado da pesquisa. O trabalho será dividido em quatro etapas.

Etapa 1
A primeira etapa é de reconhecimento do bioma. Os alunos devem levantar informações sobre a localização, características do clima, tipos de vegetação e os animais característicos da região

Etapa 2
Após entender como o bioma funciona, os alunos devem pesquisar como o bioma foi afetado nos últimos 20 anos. Dados sobre área, clima, animais e plantas em extinção são importantes para o levantamento.

Etapa 3
Os alunos devem pesquisar e propor mudanças para preservação do bioma. Existe alguma tecnologia que pode ajudar? O que a imprensa tem falado sobre o assunto?

Etapa 4
Por fim, os estudantes devem apresentar os trabalhos para a turma. O objetivo é possibilitar o intercâmbio de ideias e soluções para problemas atuais.

 

Atividade 2 

Os professores das disciplinas Geografia e Ciências da Natureza, em aula expositiva, explicam aos alunos como as ações humanas podem contribuir para mudanças climáticas. Em seguida, os estudantes são convidados a pensar o que pode tornar o impacto humano menor. A intenção é propor um exercício de Design Thinking no qual o problema a ser resolvido é a questão climática global. Como o exercício é feito por alunos, eles têm a liberdade de pensar soluções ‘fora da caixa’.

Primeiro, é preciso entender o problema a ser resolvido. Em seguida, os alunos debatem possíveis soluções até chegar a um denominador comum. Por fim, eles elaboram um protótipo que pode ser uma maquete ou um desenho. A última etapa é apresentar o projeto explicando como ele poderia resolver o problema.

 

Atividade 3
Em grupos divididos por estação, pedir para os estudantes descrevam as estações do ano, começando pela estação atual. Os alunos devem responder:

  • Quais as principais características da estação do grupo?
  • Como eles se relacionam com as mudanças no clima?
  • Como o ambiente em que vivem muda de acordo com com as estações
  • Quais as datas de início e de término das próximas estações
  • Por que prever o tempo é importante?

Na sequência, em atividade individual, os alunos devem descrever os movimentos de rotação e translação, indicando como eles influenciam a vida na Terra.

 

Atividades adicionais

1) Promover uma reflexão sobre o papel da imprensa na cobertura de crimes ambientais
2) Pedir que os alunos identifiquem problemas ambientais no bairro da escola ou no de sua residência
3) Apontar os principais problemas ambientais brasileiros a partir de reportagens publicadas em sites, jornais e revistas

 

O material teve colaboração da coordenadora de Geografia do Colégio Objetivo, Ana Paula Campolongo, e Bruno Ferreira, consultor em Comunicação e Educação do Palavra Aberta.

 

Estadão na Escola é parte de uma parceria com o Instituto Palavra Aberta, entidade sem fins lucrativos que lidera o EducaMídia, programa de educação midiática dedicado a formar professores e produzir conteúdos sobre o tema. A parceria é coordenada por Daniela Machado e Mariana Mandelli.

 

 

Disciplinas envolvidas: Geografia e Ciências da Natureza

Competências:
(EF06GE01) Comparar modificações das paisagens nos lugares de vivência e os usos desses lugares em diferentes tempos.
(EF06GE03) Descrever os movimentos do planeta e sua relação com a circulação geral da atmosfera, o tempo atmosférico e os padrões climáticos.
(EF06GE13) Analisar consequências, vantagens e desvantagens das práticas humanas na dinâmica climática (ilha de calor etc.).
(EF08CI12) Justificar, por meio da construção de modelos e da observação da Lua no céu, a ocorrência das fases da Lua e dos eclipses, com base nas posições relativas entre Sol, Terra e Lua.
(EF08CI13) Representar os movimentos de rotação e translação da Terra e analisar o papel da inclinação do eixo de rotação da Terra em relação à sua órbita na ocorrência das estações do ano, com a utilização de modelos tridimensionais.
(EF08CI14) Relacionar climas regionais aos padrões de circulação atmosférica e oceânica e ao aquecimento desigual causado pela forma e pelos movimentos da Terra.
(EF08CI15) Identificar as principais variáveis envolvidas na previsão do tempo e simular situações nas quais elas possam ser medidas.
(EF08CI16) Discutir iniciativas que contribuam para restabelecer o equilíbrio ambiental a partir da identificação de alterações climáticas regionais e globais provocadas pela intervenção humana.

Tudo o que sabemos sobre:

amazôniacerradoretomada verde

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.