Podcast é oportunidade de incluir mais notícias na rotina de alunos

Podcast é oportunidade de incluir mais notícias na rotina de alunos

Amanda Calazans, especial para o Estadão

04 de junho de 2021 | 17h01

Gosta de ouvir podcasts? Que tal, então, montar aulas usando esses programas como suporte para tratar de algum assunto ou mesmo sugerir que os alunos coloquem a mão na massa e montem um podcast em grupo?

Tecnicamente, o podcast é um arquivo de áudio que pode ser escutado a qualquer momento em sites próprios ou em aplicativos de música. Hoje em dia, há programas sonoros com  diferentes temas, formatos, durações e frequências. Assim, é possível fazer um podcast sobre livros, em formato de debate, de uma hora e com distribuição semanal, por exemplo. As combinações são infinitas.

O Estadão explora essas possibilidades em programas para diversos interesses, como educação, ciência, gastronomia e política. O mais popular, o Estadão Notícias, foi criado em 2017 e é o primeiro podcast diário de um grande veículo de comunicação do País. Apresentado pelo jornalista Emanuel Bomfim, o programa analisa um assunto por dia em entrevistas com especialistas e repórteres.

Nesta semana, por exemplo, foram tema do podcast os efeitos do desemprego e da inflação na economia brasileira, o motivo de a Copa América 2021 ser realizada no Brasil e o risco de um apagão no País. Para os alunos, o programa ajuda a compreender assuntos complexos, além de estimular o hábito de consumir notícias diariamente.

No vídeo abaixo, Bomfim explica como produz um episódio do Estadão Notícias:

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

1) Debate sobre formato
Uma possibilidade é dividir a turma em cinco grupos e pedir para cada um deles escutar um episódio do Estadão Notícias. Os programas têm cerca de 30 minutos de duração. É necessário reservar pelo menos mais 20 minutos para a discussão interna.

Cada grupo deve observar e conversar sobre os seguintes aspectos do podcast:

  • Qual o gênero do Estadão Notícias?
  • Quais elementos de podcast é possível identificar? Exemplos: vinheta, música de fundo, efeitos sonoros e informe publicitário, por exemplo.
  • Quais os graus de imparcialidade do apresentador, do especialista e do repórter?
  • Por que o tema do episódio pode ter sido escolhido sobre todas as notícias do dia em que foi ao ar? Qual a importância do assunto?

Ao final, o professor deve fazer uma pergunta por vez e dar espaço para todos os grupos se manifestarem. Dessa forma, os alunos conhecerão os resultados a que todos os grupos chegaram. Se necessário, o professor pode corrigir respostas e apresentar novos pontos de vista.

2) Ciência em destaque
Outra discussão possível pode ser feita a partir do podcast Choque da Uva, um programa sobre ciência no cotidiano produzido em 2018 pela turma do 30.º Curso Estado de Jornalismo. Os episódios abordaram assuntos como a curva da bola de futebol, o cérebro de um fã, o risco de extinção de abelhas e a síndrome do coração partido.

Para isso, os alunos devem ser divididos em cinco grupos para escutar coletivamente um dos episódios e, ao final, sugerir temas científicos que renderiam outros programas. Seria necessário reservar cerca de 30 minutos para ouvir o programa e 20 minutos para a reunião de pauta.

3) Glossário
Para os alunos se familiarizarem com podcasts em uma atividade que trabalha a autonomia, um glossário coletivo pode ser criado. Para isso, deve-se dividir a turma em grupos e, entre eles, distribuir alguns dos termos específicos da mídia. Os grupos vão pesquisar sobre a palavra na internet, discutir se os resultados que encontraram estão corretos e elaborar uma definição própria de até três linhas.

Depois disso, cada grupo deve entregar o texto final e apresentar os significados descobertos para toda a turma. O professor ficará responsável por corrigir e reunir todos os verbetes e, mais tarde, distribuir para todos os alunos o glossário de podcast.

Sugestões de palavras para o glossário de podcast:

  • Podcast
  • Sonora
  • Vinheta
  • Piloto
  • Mesa-redonda
  • BG
  • Spot
  • Broadcasting
  • Host
  • Streaming
  • Roteiro
  • Download
  • Persona
  • Pauta
  • Feed RSS
  • Storytelling
  • Agregador de podcasts
  • Isolamento acústico
  • Ruído
  • Equalização
  • Locução
  • Edição
  • Copyright

4) Locução
A locução é uma importante etapa da produção de podcasts, mas ela não está separada dos demais processos. Por exemplo, para uma apresentação segura, é preciso seguir um roteiro que contenha todas as ideias estruturadas de forma natural e direta. O locutor também pode praticar a entonação mais adequada para a leitura antes de começar a gravar. Por fim, deve-se buscar um local silencioso e um microfone (do celular ou do fone de ouvido) para fazer a gravação.

Uma proposta é pedir para que os alunos, divididos em grupos, produzam um áudio de até 3 minutos sobre um tema presente no noticiário da semana. Eles deverão escrever um roteiro observando o tempo de leitura, o que pode ser controlado por uma calculadora de texto. Os estudantes, então, devem gravar a locução pelo recurso de mensagem de voz do WhatsApp.

5) Podcast
Os alunos podem se apropriar da mídia produzindo seu próprio podcast inspirado no Estadão Notícias, com temas discutidos no dia a dia da escola, como bullying, alimentação saudável, esportes, literatura e música. A ideia é que eles façam do roteiro à edição, conhecendo todos os processos, o que requer um prazo de 2 a 6 meses.

A turma pode ser dividida em grupos de até cinco pessoas, reunidas a partir da preferência pelo tema do episódio. Uma sugestão é que o professor discuta com a classe os assuntos possíveis, selecione alguns deles e crie um formulário do Google. Assim, é possível montar os grupos a partir do interesse de cada estudante.

Cada grupo deverá criar um episódio de 10 a 15 minutos e contar com a participação de um convidado para falar sobre o assunto, como um professor ou um parente. Os alunos devem dividir livremente entre eles os papéis de produtor, entrevistador, roteirista, apresentador e editor.

Confira as etapas para cada grupo produzir seu podcast:

  • Produção: levantar informações sobre o tema para incluir no roteiro — o Estadão pode ser uma das fontes. Pesquisar possíveis entrevistados, elaborar perguntas e agendar a gravação pelo Google Meet.
  • Entrevista: entrevistar o convidado pelo Google Meet e solicitar que ele, enquanto fala, grave seu próprio áudio e envie ao grupo mais tarde. Para dar mais segurança, os alunos também devem gravar toda a conversa.
  • Roteiro: a partir da pesquisa feita na produção, estruturar em texto como será a fala do apresentador. Transcrever a entrevista e decidir que trechos serão aproveitados da gravação. Sinalizar em que momento devem entrar os efeitos sonoros.
  • Locução: em um local silencioso e com um microfone, se for possível, gravar a apresentação do episódio lendo o roteiro de forma natural. O aluno pode treinar a entonação e a dicção antes.
  • Edição: em um programa de edição como o Audacity, cortar todos os áudios que serão utilizados (locução, entrevista, trilhas sonoras) e montar o episódio conforme o roteiro. As músicas devem ser de uso livre.
  • Publicação: com a autorização dos autores, publicar os podcasts no site da escola.

 

Estadão na Escola é parte de uma parceria com o Instituto Palavra Aberta, entidade sem fins lucrativos que lidera o EducaMídia, programa de educação midiática dedicado a formar professores e produzir conteúdos sobre o tema. A parceria é coordenada por Daniela Machado e Mariana Mandelli.

Disciplina envolvida: Língua Portuguesa

Anos em que as habilidades podem ser trabalhadas: ensino médio e ensino fundamental 2

Referências na Base Nacional Comum Curricular:

(EM13LP14) Produzir e analisar textos orais, considerando sua adequação aos contextos de produção, à forma composicional e ao estilo do gênero em questão, à clareza, à progressão temática e à variedade linguística empregada, como também aos elementos relacionados à fala (modulação de voz, entonação, ritmo, altura e intensidade, respiração etc.) e à cinestesia (postura corporal, movimentos e gestualidade significativa, expressão facial, contato de olho com plateia etc.).

(EM13LP15) Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados (vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apresentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, podcasts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilidades de produção de sentidos e engajar-se de forma reflexiva em práticas autorais e coletivas.

(EM13LP16) Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áudio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para criar textos e produções multissemióticas com finalidades diversas, explorando os recursos e efeitos disponíveis e apropriando-se de práticas colaborativas de escrita, de construção coletiva do conhecimento e de desenvolvimento de projetos.

(EM13LP38) Analisar os diferentes graus de parcialidade/imparcialidade (no limite, a não neutralidade) em textos noticiosos, comparando relatos de diferentes fontes e analisando o recorte feito de fatos/dados e os efeitos de sentido provocados pelas escolhas realizadas pelo autor do texto, de forma a manter uma atitude crítica diante dos textos jornalísticos e tornar-se consciente das escolhas feitas como produtor.

(EM13LP42) Acompanhar, analisar e discutir a cobertura da mídia diante de acontecimentos e questões de relevância social, local e global, comparando diferentes enfoques e perspectivas, por meio do uso de ferramentas de curadoria (como agregadores de conteúdo) e da consulta a serviços e fontes de checagem e curadoria de informação, de forma a aprofundar o entendimento sobre um determinado fato ou questão, identificar o enfoque preponderante da mídia e manter-se implicado, de forma crítica, com os fatos e as questões que afetam a coletividade.

(EM13LP44) Analisar, discutir, produzir e socializar, tendo em vista temas e acontecimentos de interesse local ou global, notícias, fotodenúncias, fotorreportagens, reportagens multimidiáticas, documentários, infográficos, podcasts noticiosos, artigos de opinião, críticas da mídia, vlogs de opinião, textos de apresentação e apreciação de produções culturais (resenhas, ensaios etc.) e outros gêneros próprios das formas de expressão das culturas juvenis (vlogs e podcasts culturais, gameplay etc.), em várias mídias, vivenciando de forma significativa o papel de repórter, analista, crítico, editorialista ou articulista, leitor, vlogueiro e booktuber, entre outros.

Este material contou com a colaboração de Belisa Nucci Vieira, professora de Linguagem, Mídia e Sociedade II do Colégio Pentágono.

Tudo o que sabemos sobre:

podcast

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.