Prisões por tráfico de drogas abrem debates sobre desigualdade social

Prisões por tráfico de drogas abrem debates sobre desigualdade social

Guilherme Bianchini e Rodrigo Sampaio, especiais para o Estado

16 de outubro de 2019 | 20h04

Na Constituição brasileira, não há lei que determine uma quantidade específica de drogas para diferenciar tráfico de porte. A lacuna na Legislação dá margem para que decisões subjetivas sejam tomadas por autoridades para definir se alguém é usuário ou traficante. 

Quanto mais rico for o suspeito, maior pode ser a tolerância da polícia com ele. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Dados da Associação Brasileira de Jurimetria de São Paulo mostram que, entre 2012 e 2017, fatores como escolaridade e poder aquisitivo podem ter sido cruciais no momento de punir o infrator. 

O material dos repórteres Marco Antonio Carvalho e Cecília do Lago expõe em gráficos os números que explicitam a dicotomia do caso.

Aproveite o texto para aprofundar a aula de Sociologia, realizando debates sobre como a desigualdade social se faz presente em casos relacionados a drogas e à Justiça, e também de Matemática, instruindo os alunos na leitura e interpretação de gráficos. 

No vídeo abaixo, a repórter Cecília Lago fala sobre a produção da matéria.

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

1 – Sociologia, com introdução jurídica

Escolha alguns temas relevantes (drogas, racismo, intolerância religiosa, bullying) e peça aos alunos que pesquisem na legislação brasileira o que o documento diz sobre isso, sugerindo aos alunos que separem os artigos que mais lhe chamaram atenção e que escrevam um pequeno texto sobre eles.  

2 – Discussão

Divida a turma em dois grupos e proponha um debate sobre prisões por porte de drogas e a política de repressão aos entorpecentes, estimulando a criação de senso crítico sobre o tema.

3 – Matemática

Discuta com os alunos como realizar a análise e interpretação de gráficos. Quais tipos podem ser usados? Quando e como pode-se recorrer a este tipo de apresentação de dados?  Debater conceitos como média e mediana a partir dos números apresentados no texto e nos gráficos.

 

Disciplinas envolvidas: Sociologia e Matemática

Anos em que as habilidades podem ser trabalhadas: ensino médio

Referências na BNCC:  Ciências Humanas e suas Tecnologias – EM13CHS402; EM13CHS502; EM13CHS503*

Matemática e suas Tecnologias – EM13MAT101; EM13MAT102*

 

*(EM13CHS402) Analisar e comparar indicadores de emprego, trabalho e renda em diferentes espaços, escalas e tempos, associando-os a processos de estratificação e desigualdade socioeconômica.

(EM13CHS502) Analisar situações da vida cotidiana (estilos de vida, valores, condutas etc.), desnaturalizando e problematizando formas de desigualdade e preconceito, e propor ações que promovam os Direitos Humanos, a solidariedade e o respeito às diferenças e às escolhas individuais.

(EM13CHS503) Identificar diversas formas de violência (física, simbólica, psicológica etc.), suas causas, significados e usos políticos, sociais e culturais, avaliando e propondo mecanismos para combatê-las, com base em argumentos éticos.

(EM13CHS605) Analisar os princípios da declaração dos Direitos Humanos, recorrendo às noções de justiça, igualdade e fraternidade, para fundamentar a crítica à desigualdade entre indivíduos, grupos e sociedades e propor ações concretas diante da desigualdade e das violações desses direitos em diferentes espaços de vivência dos jovens.

(EM13MAT101) Interpretar situações econômicas, sociais e das Ciências da Natureza que envolvem a variação de duas grandezas, pela análise dos gráficos das funções representadas e das taxas de variação com ou sem apoio de tecnologias digitais.

(EM13MAT102) Analisar gráficos e métodos de amostragem de pesquisas estatísticas apresentadas em relatórios divulgados por diferentes meios de comunicação, identificando, quando for o caso, inadequações que possam induzir a erros de interpretação, como escalas e amostras não apropriadas.

O Estadão na Escola é parte de uma parceria com o Instituto Palavra Aberta, entidade sem fins lucrativos que lidera o EducaMídia, programa de educação midiática dedicado a formar professores e produzir conteúdos sobre o tema. A parceria é coordenada por Daniela Machado e Mariana Mandelli.

 

O material teve a colaboração de Elton Leal, professor de Matemática da Escola Estadual João Prado Margarido, de São Paulo, e de Rodrigo Borges, professor de Sociologia do Colégio La Salle Abel e do Curso Módulo, de Niterói-RJ

Tendências: