A bomba atômica em debate

A bomba atômica em debate

André Marinho e Adriano Cirino, especiais para o Estado

15 de outubro de 2019 | 14h33

Quatro anos depois das explosões americanas em Hiroshima e Nagasaki, que encerraram a Segunda Guerra Mundial, os soviéticos concluíram o desenvolvimento de sua primeira bomba atômica. Às 7 horas do dia 29 de agosto de 1949, o céu sobre as planícies de Semipalatinsk, no Cazaquistão, escureceu com a nuvem de fumaça provocada pela detonação da RDS-1 – o gatilho da corrida nuclear que opôs Estados Unidos e União Soviética durante toda a Guerra Fria.

No aniversário de 70 anos do episódio, a reportagem do Estadão analisou a evolução do arsenal nuclear mundial ao longo das décadas seguintes. Da corrida nuclear à ameaça atômica 2.0 é uma reportagem multimídia (composta por texto, infográficos, fotografias, vídeos) que pode ser explorada em aulas de Geografia e História, no que diz respeito às consequências geopolíticas do primeiro teste atômico da União Soviética. A fabricação e os atributos técnicos das bombas atômicas, por sua vez, podem auxiliar nos estudos de Física e Química. 

O repórter de Internacional do Estadão Luiz Raatz fala sobre a matéria e as implicações da  bomba atômica.

 

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

1 – Audiovisual 

Promova a exibição do vídeo Armas Nucleares, do canal Nerdologia, no YouTube. 

Audição da música Imagine, de John Lennon. Considerando que ela foi lançada em 1971, em meio à corrida nuclear, discuta o significado do trecho: Imagine que não haja países / Nada para matar ou morrer / e nem religião. Peça para que os alunos pesquisem exemplos de canções que retratem a Guerra Fria.

Analise a capa do Estadão em 24 de setembro de 1949, quando o presidente dos Estados Unidos, Harry Truman, anunciou que a inteligência americana havia detectado o teste. A partir dela, proponha reflexões sobre as diferenças na maneira como uma notícia era informada naquela época e hoje.

2 – Debates

Divida a turma em dois grupos e peça para que cada uma das equipes represente Estados Unidos ou União Soviética. Como lição de casa, sugira que os alunos estudem o tema. Em aula, proponha um debate simulado com os argumentos levantados pelos alunos sobre qual o modelo de governo mais adequado. 

3 – Análise de imagens

 

A primeira foto retrata a assinatura de um acordo nuclear entre os então presidentes da Rússia, Mikhail Gorbachev, e dos Estados Unidos, Ronald Reagan, em 1987. A segunda representa um encontro entre os atuais líderes dos países, Vladimir Putin e Donald Trump. Contraponha as duas imagens e promova discussões sobre o que mudou no período entre os dois encontros.

Peça para os alunos analisarem a imagem do encontro histórico de Donald Trump com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Proponha uma reflexão sobre a importância histórica de um momento como esse, considerando que o país asiático desenvolve um arsenal nuclear.  

4 – Ciência de Guerra

Discutir com os alunos o fato de que o conhecimento científico avança em contextos de guerra, mas com consequências complexas, uma vez que as descobertas costumam ser aplicadas na fabricação de armas de destruição em massa. Promover debate a respeito do tema.

Analisar, com o auxílio de imagens ilustrativas, a fabricação de uma bomba atômica, identificando as partes que a compõem e suas respectivas funções, os elementos e as reações químicas envolvidas nos processos de detonação, fissão e fusão atômicas, seus efeitos nocivos à saúde e ao meio ambiente, considerando a composição, a toxicidade e a reatividade de diferentes materiais e produtos, como também o nível de exposição a eles.

Dividir a turma em grupos e encarregar cada aluno de pesquisar e apresentar aos colegas os outros usos para a energia nuclear, que priorizem o desenvolvimento sustentável e a preservação da vida em todas as suas formas. 

 

Disciplinas envolvidas: Ciências Humanas e Ciências da Natureza

Ano em que as habilidades podem ser trabalhadas: Ensino Fundamental 2, Ensino Médio.

Referências da BNCC (Base Nacional Curricular Comum): História – EF09HI15; EF09HI28. Geografia – EF08GE07; EF08GE08; EF09GE05. Ciências Humanas e Sociais Aplicadas – EM13CHS204; EM13CHS604, Ciências da Natureza e suas Tecnologias – EM13CNT101; EM13CNT104; EM13CNT304.

No vídeo abaixo, o repórter Luiz Raatz explica como a matéria foi feita.

 

 

(EF08GE07) Analisar os impactos geoeconômicos, geoestratégicos e geopolíticos da ascensão dos Estados Unidos da América no cenário internacional em sua posição de liderança global e na relação com a China e o Brasil.

(EF09GE05) Analisar fatos e situações para compreender a integração mundial (econômica, política e cultural), comparando as diferentes interpretações: globalização e mundialização.

(EF09HI15) Discutir as motivações que levaram à criação da Organização das Nações Unidas (ONU) no contexto do pós-guerra e os propósitos dessa organização.

(EF09HI28) Identificar e analisar aspectos da Guerra Fria, seus principais conflitos e as tensões geopolíticas no interior dos blocos liderados por soviéticos e estadunidenses.

(EM13CHS204) Comparar e avaliar os processos de ocupação do espaço e a formação de territórios, territorialidades e fronteiras, identificando o papel de diferentes agentes (como grupos sociais e culturais, impérios, Estados Nacionais e organismos internacionais) e considerando os conflitos populacionais (internos e externos), a diversidade étnico-cultural e as características socioeconômicas, políticas e tecnológicas.

(EM13CHS604) Discutir o papel dos organismos internacionais no contexto mundial, com vistas à elaboração de uma visão crítica sobre seus limites e suas formas de atuação nos países, considerando os aspectos positivos e negativos dessa atuação para as populações locais.

(EM13CNT101) Analisar e representar, com ou sem o uso de dispositivos e de aplicativos digitais específicos, as transformações e conservações em sistemas que envolvam quantidade de matéria, de energia e de movimento para realizar previsões sobre seus comportamentos em situações cotidianas e em processos produtivos que priorizem o desenvolvimento sustentável, o uso consciente dos recursos naturais e a preservação da vida em todas as suas formas.

(EM13CNT104) Avaliar os benefícios e os riscos à saúde e ao ambiente, considerando a composição, a toxicidade e a reatividade de diferentes materiais e produtos, como também o nível de exposição a eles, posicionando-se criticamente e propondo soluções individuais e/ou coletivas para seus usos e descartes responsáveis.

(EM13CNT304) Analisar e debater situações controversas sobre a aplicação de conhecimentos da área de Ciências da Natureza (tais como tecnologias do DNA, tratamentos com células-tronco, neurotecnologias, produção de tecnologias de defesa, estratégias de controle de pragas, entre outros), com base em argumentos consistentes, legais, éticos e responsáveis, distinguindo diferentes pontos de vista.

O Estadão na Escola é parte de uma parceria com o Instituto Palavra Aberta, entidade sem fins lucrativos que lidera o EducaMídia, programa de educação midiática dedicado a formar professores e produzir conteúdos sobre o tema. A parceria é coordenada por Daniela Machado e Mariana Mandelli.

Este material contou com a colaboração de João Gabriel Priolli, professor de História do Colégio Equipe.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: