Nobel de Medicina abre espaço para explicar estrutura celular

Nobel de Medicina abre espaço para explicar estrutura celular

Redação

11 de outubro de 2019 | 17h31

O Prêmio Nobel de Medicina de 2019 foi dado a três pesquisadores que descobriram como as células conseguem se adaptar à quantidade de oxigênio disponível no organismo. Entender esse mecanismo é crucial para avançar em estudos de combate a doenças como câncer e anemia. 

O material, produzido pela repórter Giovana Girardi, conta quem são os cientistas vencedores do Nobel de Medicina e “traduz” para uma linguagem mais acessível a pesquisa que eles conduziram.

Aproveite o texto para aprofundar as aulas de Biologia e Química, e também para discutir o tratamento jornalístico dado a uma informação científica, na área de Linguagens. 

 

PROPOSTAS DE ATIVIDADES

 

1 – Das ciências para a imprensa

Discutir com os alunos as mudanças na linguagem empregadas pelo jornalista ao relatar um tema ou um assunto científico, a partir da análise comparativa dos seguintes textos:

  • anúncio oficial do Nobel de Medicina
  • texto produzido pelo jornalista para divulgar o anúncio

 

2- Ciências 

Apresentar e discutir com os alunos a estrutura celular.

 

3 – O que o é Nobel?

Fazer pesquisa sobre o Prêmio Nobel em si e sobre os demais vencedores ao longo do tempo. É possível discutir qual a relevância do prêmio, o que costuma ser considerado nas escolhas e se as pesquisas são recentes ou antigas. Há outros questionamentos interessantes. Quais outros premiados importantes merecem destaque? Quais os países que mais receberam prêmios Nobel e por quê?

 

Disciplinas envolvidas: Química, Biologia, Português

Anos em que as habilidades podem ser trabalhadas: Fundamental 2 e ensino médio

Referências na BNCCÁrea de Linguagem e suas Tecnologias – EM13LGG402; EM13LP01; EM13LP30*, Ciências da Natureza – EM13CNT303*

(EM13LGG402) Empregar, nas interações sociais, a variedade e o estilo de língua adequados à situação comunicativa, ao(s) interlocutor(es) e ao gênero do discurso, respeitando os usos das línguas por esse(s) interlocutor(es) e combatendo situações de preconceito linguístico.

(EM13LP01) Relacionar o texto, tanto na produção como na recepção, com suas condições de produção e seu contexto sócio-histórico de circulação (leitor previsto, objetivos, pontos de vista e perspectivas, papel social do autor, época, gênero do discurso etc.).

(EM13LP30) Compreender criticamente textos de divulgação científica orais, escritos e multissemióticos de diferentes áreas do conhecimento, identificando sua organização tópica e a hierarquização das informações, questionando fontes não confiáveis e problematizando enfoques tendenciosos ou 

(EM13CNT303) Interpretar textos de divulgação científica que tratem de temáticas das Ciências da Natureza, disponíveis em diferentes mídias, considerando a apresentação dos dados, a consistência dos argumentos e a coerência das conclusões, visando construir estratégias de seleção de fontes confiáveis de informações.

O Estadão na Escola é parte de uma parceria com o Instituto Palavra Aberta, entidade sem fins lucrativos que lidera o EducaMídia, programa de educação midiática dedicado a formar professores e produzir conteúdos sobre o tema. A parceria é coordenada por Daniela Machado e Mariana Mandelli.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: