Obter informações de campanhas é suficiente para que as crianças saibam como prevenir doenças?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Obter informações de campanhas é suficiente para que as crianças saibam como prevenir doenças?

Escola Eduque

31 Maio 2016 | 16h15

20160321_102039

As doenças infectocontagiosas e epidêmicas, como a gripe por Influenza A, têm uma atenção especial na Eduque. Além das medidas de limpeza e desinfecção de ambientes e materiais, desde 2004 a Escola apoia a vacinação contra a gripe, oferecendo a oportunidade da equipe de profissionais se vacinar.

Ações de prevenção são intensificadas entre os alunos, pais e profissionais através de informes e orientações. Nas salas de aula, o álcool gel está sempre disponível e o tema de prevenção e cuidados com a higiene é tratado pelos professores no dia a dia, respeitando a compreensão das diferentes idades dos alunos.

Sabemos que memorizar informações e palavras de campanhas costuma ajudar na prevenção de doenças, mas entendemos que compreender a importância dos hábitos de higiene e investigar as causas e consequências dos problemas potencializam os hábitos saudáveis, possibilitam modificar comportamentos e previnem a transmissão de doenças. As crianças são curiosas e querem saber como as coisas funcionam, na Educação Infantil os alunos são convidados a refletir sobre o assunto por meio de rodas de conversa e livros. No Ensino Fundamental, instigamos os alunos a refletir com mais profundidade o mundo da microbiologia e as relações de saúde, cuidados com higiene e doenças.

Além das informações trazidas em sala de aula em Ciências e Atualidades, em 2016, o projeto “Quem mora no nosso corpo” está em desenvolvimento com os alunos de 2º ao 5º Ano/EF dos grupos do período Estendido.

O projeto propõe atividades que auxiliam os alunos a obter mais informações sobre a existência de micro-organismos. Eles debatem o assunto, pesquisando em livros didáticos, revistas e internet, testando hipóteses em experimentos e registrando as conclusões no laboratório de Ciências.

Um dos experimentos realizados foi a coleta de resíduos das mãos sem lavagem e recém-lavadas, dentes sem escovação e dentes recém-escovados. Os resíduos foram separados em recipientes e preparados com solução propícia para o crescimento de bactérias.

Após alguns dias de observação, os alunos trocaram percepções sobre os experimentos, repetiram o teste, coletando também resíduos de ambientes e materiais e, por fim,divulgaram por toda a Escola suas conclusões por meio de cartazes informativos do tipo “Você Sabia?”.

A Escola Eduque acredita que trazer sentido às propostas pedagógicas possibilita construir saberes com significado. Por isso, articular conhecimentos e ações transforma a realidade e incorpora mudança de hábitos para uma vida mais saudável.

Juliana Duarte, administradora (Insper SP e  Bocconi University Milano), especializada em marketing (Insper SP). Gestora administrativa da Escola Eduque.

Mais conteúdo sobre:

educacaoescola eduqueh1n1prevenção