O espaço do brincar na escola
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O espaço do brincar na escola

Escola Eduque

13 Outubro 2016 | 15h56

20161010_110136
“Espaço de brincar

Espaço sagrado
Espaço adequado
Espaço alegre
Espaço tumultuado
Espaço flexível
Espaço grande ou pequeno
Espaço criativo
Espaço caloroso
Espaço moderno e Espaço antigo…”

Adriana Friedmann

Cada vez mais, as crianças enfrentam tarefas de um precoce aprendiz. Elas devem aprender o máximo que conseguir, frequentar todas as aulas que seus pais puderem pagar, investir em um futuro de sucesso com uma profissão interessante e lucrativa.
O tempo é todo preenchido em favor do futuro e não do presente. A infância deixa de ser pensada como tempo de vida, que tem suas características e necessidades próprias. É de direito, necessário e importante ter o tempo de ser criança: tempo de ócio, tempo para brincar, para socializar, aprender, se desenvolver e descobrir o mundo com o próprio olhar, sem tantas pressões, deveres e responsabilidades impostas além de sua faixa etária.
Brincando, as crianças amadurecem competências para a vida coletiva – por meio da interação, utilização dos jogos de regras e representação de papéis, elas exploram o ambiente, perguntam e refletem sobre a cultura na qual vivem e sobre a realidade circundante, desenvolvendo-se psicológica e socialmente.
Por tudo isso e muito mais, brincar também é coisa para se fazer na escola!
A equipe pedagógica da Eduque tem se debruçado nesse universo tão conhecido e muitas vezes pouco fundamentado do brincar. A partir de estudos e reflexões, novas propostas vêm sendo planejadas no dia a dia dos alunos, a fim de ampliar cada vez mais o tempo de ser criança.
Os espaços da escola, como os pátios e o parque, são modificados e reorganizados semanalmente pela comissão de professores, engajados em ampliar as possibilidades do brincar no decorrer da rotina. Jogos e brinquedos são selecionados com o objetivo de instigá-las a novos desafios; objetos não convencionais, como pneus, funis, colchonetes, pedacinhos de madeira, tecidos e elásticos se transformam nas mãos das crianças em grandes construções, como cabanas, navios e foguetes; o Pergolado de madeira do parque ora tem rede e elas experimentam seu balanço, ora tem saquinhos com diferentes aromas para despertar as percepções sensoriais, entre outras propostas que ampliam o repertório de brincadeiras, levando em consideração a faixa etária das crianças.
Nesses espaços, com ambientações e tantas possibilidades, as crianças vivem o estar e reconhecer o outro, aprendem a se comunicar, respeitar, ouvir, negociar, flexibilizar, ceder e liderar de maneira construtiva e real.
Nesta semana em que celebramos as crianças, o Brincar é protagonista das propostas planejadas para a Educação Infantil e Ensino Fundamental I. A Sessão Simultânea de Brincadeiras é tradição na Eduque – na Educação Infantil, os assistentes pedagógicos são convidados a organizar espaços lúdicos e a imaginação toma conta deles, pois criam ambientes em que é impossível não se sentir atraído para brincar.
As crianças exercitam a escolha inscrevendo-se nas brincadeiras que desejam participar. No dia e hora combinados, alunos, professores e assistentes se envolvem com o faz de conta de mamãe, filhinho, sorveteiro, músicos, cozinheiros…
No Ensino Fundamental, a Sessão Simultânea de Brincadeira acontece nas quadras e os alunos também se inscrevem nas brincadeiras que desejam participar. Neste dia, a alegria se mistura com o tapembol, dogebol , hóquei, pic-bandeira, pega-pega…
Considerando o brincar como algo a ser levado a sério e que deve ultrapassar os muros da escola, as vivências e aprendizagens individuais e coletivas proporcionadas por ele têm sido oportunidade de reflexão em todo o mundo, espaços do brincar estão aparecendo pelas cidades para que famílias se reúnam e resgatem, em parceria com a escola, o tempo de ser criança, afinal, a brincadeira é a forma mais livre de expressão.

Escola Eduque

Mais conteúdo sobre:

escola eduque