Preciso matricular meu filho ou minha filha em curso de inglês para além do que tem na escola?

Escola da Vila

05 de maio de 2021 | 16h35

Por Sandra Durazzo, assessora de idiomas e internacionalização do Grupo Bahema Educação

Há bastante tempo os institutos de idiomas são frequentados por crianças, adolescentes e adultos, em busca de ganhar fluência em inglês e outras línguas estrangeiras. E há também uma certa ideia que circula no senso comum de que as escolas regulares não são capazes de oferecer formação nessa área, sendo, portanto, necessário matricular-se em cursos extracurriculares de idiomas.

Não é o caso da nossa escola. Aqui, na Escola da Vila, temos um projeto consistente e articulado, iniciado na Educação Infantil e centrado no desenvolvimento de competências comunicativas. Os alunos e as alunas vivenciam situações diversas, adequadas a cada faixa etária, abordando temas do cotidiano, leitura literária, gêneros textuais orais e escritos, o mundo digital e muitas oportunidades de interagir com outras culturas por meio de projetos que possibilitam ao mesmo tempo aprender sobre temas diversos e crescer como usuários de uma segunda língua.

Mas, como esperado, as famílias frequentemente compartilham uma dúvida comum: devo matricular meu filho ou minha filha em algum curso de inglês além do oferecido na escola?

Para responder é preciso considerar alguns aspectos, assim não temos uma única resposta! Em primeiro lugar, é preciso entender o objetivo da família com essa escolha e, principalmente, a vontade da criança ou adolescente em relação ao inglês.

A área de Educação Física oferece um ótimo paralelo para pensarmos. Há famílias que são esportistas, que valorizam especialmente a prática de exercícios. Sendo assim, além do ótimo programa de educação física da escola, com desenvolvimento de capacidades, consciência corporal e saúde, essas famílias matriculam seus filhos e filhas em treinos, levam-nos a viagens e atividades que envolvem prática de esporte. Consequentemente, essas crianças e jovens terão desenvolvimento de habilidades físicas maiores do que seus colegas. Simplesmente porque praticam mais.

O mesmo ocorre com leitura, com conhecimentos matemáticos, arte e, claro, inglês. Sendo assim, se a família valoriza bastante a proficiência na língua estrangeira, certamente propicia oportunidades de contato com essa língua em casa, compartilha experiências como ver filmes ou ouvir músicas. E também pode querer um tanto a mais de contato com a língua, optando por colocar o filho ou a filha em um curso para além das propostas da escola. E, claro, essas crianças e jovens desenvolverão mais a competência linguística. Simplesmente porque praticam mais.

No entanto, em todos os exemplos acima, é preciso ponderar sobre a qualidade dessas experiências extras e a disponibilidade das crianças e adolescentes para elas. Há casos em que a demanda é da família, mas não da criança ou jovem. E, nesse caso, ele ou ela não aproveitam o tempo de contato com o idioma. Por vezes, a criança perde momentos importantes de brincar, ou o jovem de socializar, por conta de aulas extracurriculares. Nesses casos, é preciso considerar o que desenvolvem e o que deixam de desenvolver para fazer a melhor escolha para cada um. E essas decisões mudam a cada momento da vida dos estudantes.

Finalmente, é importante considerar que mais contato de qualidade com o idioma certamente promove maior proficiência, no entanto, esse contato não precisa ser em aulas extras, mas pode ser por meio de interações com livros e filmes que têm em casa, de viagens ou contato com amigos estrangeiros da família, ou pela exploração de atividades extras, como as sugeridas pela equipe da Escola da Vila nos ambientes virtuais.

Sendo assim, a resposta à pergunta do título é: depende. A escola oferece uma formação excelente. Os alunos e as alunas da Vila chegam ao Ensino Médio como usuários independentes, sendo capazes de participar de situações de comunicação em inglês com autonomia. Temos uma grande quantidade de estudantes que só aprenderam inglês na escola e são fluentes. Ainda assim, se seu filho ou sua filha deseja mais contato com o idioma, há disponibilidade na família e tempo para isso, é uma escolha válida.


A Vila está de portas abertas para todos e todas que desejem conhecê-la melhor. Venha fazer parte de nossa comunidade escolar!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.