Como escolher a escola das crianças em tempos de pandemia?

Escola da Vila

23 de setembro de 2020 | 11h48

Princípios e projeto pedagógico devem ser o foco da atenção; por meio do site e redes sociais é possível obter algumas informações, que devem ser complementadas por visita presencial ou conversa.

Escolher a escola para o filho ou filha envolve buscar aquela que mais dialoga com os princípios da família. Em tempos de pandemia, essa procura deve ser ainda mais criteriosa, pois o que está comunicado nos sites, nas propagandas e rede sociais das instituições não é suficiente para uma decisão dessa importância. Andréa Polo, coordenadora da Educação Infantil da Escola da Vila, dá algumas dicas nesse sentido.

O que a família espera da escola

A coordenadora orienta que, para começar a procura, a família deve conversar sobre alguns princípios que nortearão a busca, como o que se espera da escola. “É importante anotar as expectativas para detalhar cada vez mais a busca. Antes de entrar em contato pelo telefone ou marcar uma entrevista, uma pesquisa na internet pode ajudar a construir um rol de perguntas e observações acerca do que se deseja entender melhor”.

Contato com outras famílias

Encontrar pessoas que têm suas crianças matriculadas na instituição, para conhecer em detalhes o trabalho feito pela escola, pelos olhos dessas famílias, pode ser um bom caminho. A ideia é observar que tipo de experiências os alunos e alunas daquela instituição valorizam e como isso é comunicado por meio das redes sociais, documentos e imagens que a escola divulga.

Conhecer a escola em funcionamento

Se não for possível conhecer a escola presencialmente, uma ideia é solicitar materiais, como vídeos ou fotos, que a mostre em funcionamento. “Observe se as informações colocadas no site, blogs ou qualquer apresentação sobre o projeto são perceptíveis também quando as pessoas que conversarem com você falarem sobre a escola”, sugere a coordenadora.

Ambientes e Instalações físicas

Segundo Andrea, as famílias não devem dar importância demasiada a quadras, piscinas, grandes refeitórios, salas com inúmeros equipamentos e auditórios. “Todos os recursos materiais são importantes, mas por si só não explicitam o trabalho que a escola realiza. Murais com trabalhos de arte e ciências, objetos e brinquedos também revelam os princípios da escola. Fique atento, ainda que remotamente, em que medida as pessoas responsáveis por apresentar o projeto da escola conseguem falar a respeito do trabalho realizado em cada local e não apenas das edificações.”

Ainda sobre ambientes e instalações, Andréa observa que espaços arborizados e locais para contemplar, olhar o céu, ouvir o canto dos pássaros e conviver em grupo também mostram como a escola entende os desafios e necessidades que se apresentam na infância e na adolescência. Ela considera, por outro lado, que ambientes emborrachados, lisos e com poucos desníveis trazem a ideia de proteção excessiva, o que não favorece o pleno desenvolvimento das competências motoras das crianças.

Equipe Pedagógica

Para a coordenadora, conhecer a formação do corpo docente é importante, mas não é suficiente. “A escola deve valorizar e fomentar programas de formação internos continuados para articular os conhecimentos acadêmicos ao trabalho que será realizado pelo corpo docente. Pergunte sobre planos de formação, especialmente para os mais jovens da equipe”, recomenda.

Trabalho remoto

Em relação às aulas a distância devido à pandemia, vale questionar como o trabalho remoto está acontecendo, como a escola pensa em atender em modo híbrido e como ela tem se preparado para retornar às atividades presenciais. “Observe se neste grupo de respostas aparecem princípios de cooperação, cuidados e antecipação de problemas”, orienta Andréa.

Atendimento e receptividade

Por fim, a coordenadora sugere conversar com um responsável pedagógico pelo segmento que a criança vai ingressar e marcar uma reunião para saber mais detalhes que não tenham ficado tão claros ao longo do tempo dedicado a conhecer a escola. “É importante atentar para o atendimento que a escola dá para este momento tão importante de recepção de novas famílias em circunstâncias excepcionais. Perceber que desde o primeiro contato as pessoas sabem falar sobre o projeto da escola com propriedade e são acolhedoras com suas dúvidas é um ótimo sinal para continuar conhecendo a instituição.”

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: