Atividades de acolhimento, arte e movimento marcam a reabertura das unidades da Vila

Atividades de acolhimento, arte e movimento marcam a reabertura das unidades da Vila

Escola da Vila

21 de outubro de 2020 | 11h51

Desde 7 de outubro, alguns alunos e alunas da Escola da Vila estão frequentando a escola em dias determinados para cada série e organizados em pequenos grupos para melhor cumprir as medidas de segurança.

Em 7 de outubro, as unidades Butantã e Morumbi da Escola da Vila retomaram as atividades presenciais. Neste primeiro momento da volta, a escola recebeu até 20% dos alunos e alunas de cada unidade, seguindo todos os protocolos de biossegurança estabelecidos com as consultorias de saúde contratadas – a consultoria do Sírio-Libanês, por meio da Bahema Educação, e Hospital Israelita Albert Einstein, por meio da Associação Brasileira de Escolas Particulares (Abepar).

Vera Barreira, orientadora educacional e coordenadora do Ensino Fundamental II, conta que os estudantes de cada ano estão indo à escola em um dia da semana determinado e são organizados em pequenos grupos. “A ideia é formar essas ‘bolhas’, e cada um desses agrupamentos vai seguir com os mesmos integrantes e frequentar a escola nos mesmos dias para evitar um maior contato entre eles e minimizar os riscos de contágio.”

Cada unidade tem recebido cerca de 20 a 30 alunos e alunas do F2 por dia. Nessas primeiras semanas, os estudantes permaneceram na escola por duas horas, no contraturno escolar, das 14h30 às 16h30, uma vez que as atividades pedagógicas continuam no período regular da manhã e no formato remoto. Foram recebidos por orientadores, equipe de esporte, assistentes e estagiários.

Durante o tempo em que ficaram na escola, eles tiveram atividades relacionadas a práticas corporais e movimento e uma proposta no ateliê de arte. Uma hora foi reservada para acolhimento, em que puderam conversar livremente e contar como viveram a quarentena e como estão passando por este momento.

“Priorizamos essas atividades para que se movimentem, alonguem, cuidem do bem estar do corpo, ocupem os espaços abertos da escola e façam isso em conjunto, dando espaço para eles se expressarem. Consideramos que duas horas é um tempo adequado para isso, pois, ao ficar um período maior, podem começar a relaxar os cuidados com máscara, distanciamento, higiene das mãos etc”, observa a orientadora.

“Eles se encantaram muito com esse reencontro. Uns estavam eufóricos, outros com um pouco de medo, mas todos muito cuidadosos e seguindo direitinho os protocolos.” Para toda a equipe da Vila, foi muito bom presenciar os alunos e alunas contentes com a volta, matando a saudade de amigos e amigas, trocando vivências e encontrando a mesma escola de um jeito novo.”

Agora aguardamos novas definições dos órgãos públicos do município de São Paulo para definições acerca da próxima etapa prevista para o mês de novembro, com a certeza que a retomada do espaço escolar foi muito importante para nossa comunidade, principalmente estudantes e equipe.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: