Um ano de escolas públicas fechadas e conectividade reduzida
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um ano de escolas públicas fechadas e conectividade reduzida

Os danos à Educação, causados pela pandemia, não ficarão só em 2021”, afirma Luiz Miguel Garcia, presidente da Undime

Todos Pela Educação

25 de março de 2021 | 13h36

Neste mês de março de 2021, a Educação Brasileira completa um ano de escolas vazias. O  fechamento emergencial foi necessário para proteger a vida de professores(as), estudantes,  profissionais da Educação e famílias. Em poucos dias, a escola precisou se adequar ao então ‘novo normal’ e, mesmo sem uma liderança nacional, Estados e Municípios trabalharam para  garantir, em primeiro lugar, alimentação aos estudantes e a realização de atividades  educacionais não presenciais, a fim de minimizar as perdas na aprendizagem.

Desde o início da pandemia, a Undime, enquanto instituição que representa os Dirigentes  Municipais de Educação de todo País, responsáveis pela gestão de mais de 23 milhões de  matrículas na Educação Básica Pública, realizou pesquisas para compreender o cenário da  Educação Municipal e as principais dificuldades enfrentadas pelas redes.  

O quarto e último levantamento, apresentado em março de 2021, apurou que o acesso à  internet e a infraestrutura escolar foram os maiores desafios das redes municipais de Educação  em 2020. O estudo ouviu 3.672 municípios, que representam duas em cada três redes municipais  do País. 

Para que fosse possível continuar o ano letivo, a escola chegou aos alunos de diferentes formas.  A maior dificuldade foi em relação ao acesso de estudantes e professores à internet e aos recursos  tecnológicos. Isso fez com que as instituições concentrassem suas atividades não presenciais em materiais impressos e orientações por WhatsApp. 

A constatação reforça a importância da implementação de políticas públicas voltadas à ampliação do acesso à internet de qualidade para a comunidade escolar das redes públicas. O  Projeto de Lei 3477/2020 – vetado integralmente pela Presidência da República – previa um  recurso de R$ 3,5 bilhões da União para que Estados e Municípios garantissem acesso à internet  aos alunos e professores(as) das redes públicas de Educação, sobretudo em meio à pandemia.  

O Projeto já estava aprovado pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal. Agora, faz-se  necessário juntar forças para derrubar o veto e permitir que os recursos do Fundo de  Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST) sejam direcionados à conectividade  de crianças e adolescentes da rede pública que vivem em famílias inscritas no Cadastro Único  para Programas Sociais (CadÚnico), bem como daqueles matriculados nas escolas das  comunidades indígenas, quilombolas e professores da rede pública. 

Com a pandemia ainda fora de controle, a volta às aulas em 2021 será realizada de forma não  presencial em mais de 60% das redes ouvidas. Para um retorno seguro, a Undime solicitou ao  ministro da Educação articulação junto ao Ministério da Saúde para a garantia de vacinação dos profissionais da Educação, como forma de proporcionar segurança aos pais, professores e  alunos para o retorno às aulas presenciais.  

Os danos à Educação, causados pela pandemia, não ficarão só em 2021. Nos anos seguintes, a  Educação Básica Pública enfrentará muitos desafios adicionais. Os municípios necessitarão  realizar ações como: a implementação de protocolos sanitários e de segurança; elaboração e  aplicação de protocolos pedagógicos; investimentos em infraestrutura; capacitação dos  profissionais da Educação e; o fortalecimento do regime de colaboração nas esferas federal,  estadual e municipal.

 

A Pesquisa Undime sobre Volta às Aulas é uma realização da União Nacional dos Dirigentes  Municipais de Educação (Undime), com apoio do Itaú Social e do Fundo das Nações Unidas para a  Infância (Unicef).

Luiz Miguel Martins Garcia é presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de  Educação (Undime) e Dirigente Municipal da Educação de Sud Mennucci/ SP.

Veja também:

BALANÇO 2020: IMPACTO DA PANDEMIA NA EDUCAÇÃO VAI ALÉM DO FECHAMENTO DE ESCOLAS

DOCUMENTO EDUCAÇÃO JÁ MUNICÍPIOS: CONHEÇA PROPOSTAS DO TODOS PARA PREFEITOS E PREFEITAS

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.