Uma boa causa social para além dos muros da escola

Uma boa causa social para além dos muros da escola

Cris Marangon

13 Agosto 2018 | 13h52

O Sidarta cria algumas frentes de trabalho envolvendo a comunidade para gerar recursos e apoiar uma de suas causas sociais: o Projeto Andoriar

por Cristiane Marangon

Você já ouvir falar em volunturismo? Trata-se de uma viagem de turismo e trabalho voluntário. No Sidarta, em vez de um passeio de formatura tradicional, as turmas de 9º ano do Ensino Fundamental se envolvem nessa experiência e ainda convidam seus amigos do Ensino Médio para participar junto com eles. Esse é o Projeto Andoriar!

Tudo começou em 2015, quando os alunos decidiram por esse modelo de viagem de formatura colocando em prática os valores aprendidos na escola. “Assim como as andorinhas, nossos estudantes voam juntos em revoada levando coisas boas para outras bandas”, define Maria Aparecida Schleier, diretora administrativa.

No primeiro ano, eles atuaram em uma comunidade de Florianópolis (SC). Durante uma semana do mês de setembro, tiveram uma rotina intensa de trabalho voluntário de cunho socioeducacional e contato com a natureza dentro do projeto Revolução dos Baldinhos, instaurado na comunidade Chico Mendes, que sofria com um problema de acumulo de lixo.

Em 2016 e 2017, a turma foi para Regência Augusta (ES), que sofreu grande impacto ambiental decorrente do vazamento das barragens da mineradora Samarco. “Entregamos à comunidade dois quiosques construídos com técnicas de bioconstrução: um para alunos da escola pública e outro no centro comunitário da cidade”, conta Maria Aparecida. “Esses espaços servem, atualmente, para atividades de lazer e cultura. O parque da escola municipal de Educação Infantil de lá também foi reestruturado.”

Neste ano, os alunos vão a uma comunidade ribeirinha da Vila Cuiabá-Mirim, em Cuiabá (MT), para realizar algumas atividades: construção de um parque infantil, montagem de uma biblioteca na escola local, realização de atividades de leitura, oficina de sensibilização para uso de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e triagem e atendimento médico para população local.

Como estimular a consciência do serviço à sociedade

Para viabilizar essa experiência, muitas frentes são organizadas no Sidarta para gerar recursos e apoiar o Projeto Andoriar. A Festa Junina, por exemplo, pelo viés da cultura, abraça essa causa social. Com a verba arrecadada na festa deste ano, os alunos bolsistas do programa Ismart (Instituto Social para Motivar, Apoiar e Reconhecer Talentos) estarão presentes na viagem. O Ismart é um projeto sem fins lucrativos que proporciona aos melhores alunos da rede pública a oportunidade de receber uma educação de qualidade. “Recebemos, anualmente, 10 estudantes para aprender com a gente. E também nos ensinar!”, explica Maria Aparecida.

Segundo a diretora, a Festa Junina contou com a presença de 1.476 visitantes e arrecadou R$ 32.853,36. “Os resultados alcançados só foram obtidos com o envolvimento, a participação e a dedicação de todos. Acreditamos que esse movimento faz de nossa escola um lugar especial e único”, avalia. Vale destacar que, um mês antes, também em prol do Projeto Andoriar, foi realizado um jantar beneficente, que arrecadou R$ 9.761,16.

Além da grande causa, desde 2016, a entrada na Festa Junina está atrelada à doação de alimentos não perecíveis para instituições parceiras. O Sidarta ajuda a Associação do Núcleo de Enfrentamento da Pobreza (Anuepo), em 2016, com uma tonelada de mantimentos. Em 2017 e 2018, a instituição contribuiu com a Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (Abem). Este ano, o Sidarta recebeu doação de cerca de 900 quilos de alimentos.

Com isso, o Sidarta, apoiado por sua comunidade (colaboradores, alunos e suas famílias) coloca em prática um de seus princípios: é essencial estimular a consciência do serviço à sociedade. Para acompanhar as ações do Projeto Andoriar que, este ano, vai acontecer na primeira semana de outubro, acesse a página do Andoriar.

Assista ao vídeo que apresenta o Projeto Andoriar: