Día de los Muertos: uma data para comemorar como no México

Día de los Muertos: uma data para comemorar como no México

Cris Marangon

05 Novembro 2018 | 13h59

Alunos do Colégio Sidarta aprendem mais sobre uma importante festividade mexicana com a mãe de uma aluna e reforçam seus conhecimentos na língua esponhola

por Carolina Valéria Leon Bonzi*

O Día de los Muertos é uma comemoração típica mexicana, celebrada anualmente entre os dias 31 de outubro e 2 de novembro. A intenção é lembrar-se de todas as pessoas queridas falecidas, sejam familiares ou amigos.

Ao contrário do Dia de Finados, que é celebrado no Brasil em 2 de novembro, o Dia dos Mortos é uma divertida e animada festa, que tem muita música, comidas e bebidas que os falecidos apreciavam e que se apresentam em altares coloridos e ricamente enfeitados com papel picado, flores, luzes e água. A ideia é que os mortos que revisitam seus familiares possam ficar contentes.

O princípio do Dia dos Mortos é de que o esquecimento é o pior que pode acontecer com uma pessoa. Na festividade que acontece em todos os lugares do México, as pessoas costumam se fantasiar de caveiras e fazer apresentações divertidas pelas ruas das cidades.

Aqui, no Colégio Sidarta, o ensino de línguas torna nossos alunos comunicadores competentes, concisos e claros, e permite que eles transitem entre diferentes espaços e tenham amplas possibilidades de escolhas. O espanhol está presente no currículo desde o 5º ano, inclusive com certificação internacional de proficiência DELE.

Este ano, para vivenciar essa data, que é considerada Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), nossos alunos pintaram as caveiras típicas, fizeram o recorte de papel picado e assistiram ao filme “A Vida É uma Festa”, que conta a história de Miguel, um jovem aspirante a músico que se aventura no Mundo dos Mortos para entender porque a música foi banida da sua família há gerações.

Os estudantes também decoraram caveiras de açúcar e assistiram à palestra de Martha, que é mexicana e mãe da aluna Galia, do 6º ano. Foi um lindo momento com música, conhecimento e apreciação de outra cultura e uma decoração alusiva com papel picado e altar magnífico.

*Carolina Valéria Leon Bonzi é professora de Espanhol das turmas de 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Sidarta, em Cotia, SP