A escola como espaço legítimo de investigação

A escola como espaço legítimo de investigação

Colégio Sidarta

06 Novembro 2015 | 21h11

Como podemos reduzir o consumo energético com a energia gerada a partir da biomassa de resíduos orgânicos? Como a matéria se organiza em diferentes configurações moleculares? Quais são os fatores de influência na presença de populações de macro e micro fauna presentes em áreas próximas ao Rio Cotia?

Foram perguntas como essas que o professor Michael Filardi, coordenador do Núcleo de Ciências da Natureza, ouviu durante o processo de investigação que iniciou os alunos do Colégio Sidarta no estudo da metodologia científica.

Em que momento da vida deixamos de fazer esse tipo de pergunta? O que nos ensinou a ter vergonha de não saber as respostas ou desenvolveu na gente um medo mortal de responder errado? Esses pequenos questionamentos nos acompanham a vida inteira, mas muitas vezes são abafados pelo “efeito adulto”.

O papel da escola é reforçar que errando a gente aprende e que nenhuma pergunta é inútil. Que grandes ideias também nascem das pequenas dúvidas e uma questão gera outra questão. Tudo isso junto faz com que a curiosidade se alimente e cresça cada dia mais, de maneira atemporal.

No Sidarta, estamos ​ampliando os ambientes de aprendizagem para além da sala de aula tradicional, estamos ​oferecendo condições para que os alunos entendam o processo do pensamento científico: observem o meio, reflitam sobre as situações problema, levantem hipóteses, questionem – atitudes que são constantemente estimuladas por nós, para que não se percam ao longo dos anos. Reconhecemos o poder transformador que tem uma boa ideia quando colocada em prática, e incentivamos cada vez mais essa atitude.

Assim, incluímos a metodologia cientifica no ambiente escolar de modo formal.

Nossa Feira do Conhecimento agora inaugura uma nova fase da trajetória do Sidarta enquanto escola de aplicação. Queremos que a metodologia de iniciação científica esteja presente no dia-a-dia dos alunos, para potencializar o trabalho que fazemos diariamente ​e ajudar a formar​ jovens transformadores, capazes de olhar seu entorno, sair de sua​ zona de conforto, e de agir para mudar a sociedade, pensando​ no bem comum e tornando-se agentes ​de mudanças relevantes para o mundo.

Para compreender melhor a dimensão do evento e conhecer um pouco mais sobre o projeto de iniciação científica na escola e os trabalhos de pesquisa que estão sendo desenvolvidos, basta acessar o site:

www.feiradoconhecimento.sidarta.org.br

Também faremos a transmissão ao vivo do evento para educadores e público interessado em novas práticas educacionais através do aplicativo Periscope. Essa possibilidade que a tecnologia nos oferece é uma grande ferramenta para compartilhar nossas práticas além dos nossos muros.

Siga o Instituto Sidarta e acompanhe de perto nossa Feira do Conhecimento 2015!