Nome Próprio e Alfabetização

Nome Próprio e Alfabetização

Cesar Pazinatto

01 Julho 2016 | 08h40

Não há texto mais curto e com maior significado que próprio o nome. Por isso, nos grupos de K5, planejamos uma sequência de atividades com ele, para as crianças conhecerem e ampliarem o repertório de letras e palavras.

O trabalho com o nome auxilia as crianças a compreenderem como a escrita funciona, pois nele há uma referência a seguir. Com esta referência estável, elas podem refletir sobre esse sistema.

Escrevendo seu próprio nome, as crianças começam a trabalhar com modelos de escrita, porque ele traz informações sobre as letras que o compõe, a forma e o seu valor sonoro, a quantidade de letras para escrevê-lo, a  variedade, a posição e a ordem das letras.

Abaixo, alguns exemplos destas atividades.

Bingo de nomes: Sorteamos um dos nomes dos alunos da sala e cada criança observa e marca na ficha que recebeu se tem o nome do colega, observando: a letra inicial, final, quantidade de letras etc.

Jogo da memória: a criança deve encontrar o nome correspondente à foto retirada.

Jogo da memória: a criança deve encontrar o nome correspondente à foto retirada.

Palavras cruzadas de nomes

Palavras cruzadas de nomes

Mais uma atividade com o nome dos alunos de uma sala

Assim, a partir desta sequência de atividades, as crianças observam as letras do seu nome em outras palavras, nos nomes dos colegas e começam a associar o valor sonoro de cada uma para escrever novas palavras.

Professoras: Débora Rick, Flávia Sanches e Nina do Vale