Linha do Tempo Virtual Interdisciplinar: Literatura e Sociologia

Linha do Tempo Virtual Interdisciplinar: Literatura e Sociologia

Cesar Pazinatto

14 Outubro 2016 | 07h41

Linha do tempo - 2º ano do EM (excerto)

Não existe ideia sem autor. Nem autor sem tempo histórico. As ideias que povoam o imaginário da população brasileira hoje são fruto de alguns séculos de produção cultural em poesia, prosa, pintura, escultura, teatro, cinema e quadrinhos. Entender o Brasil de hoje requer a compreensão do “quem”, “quando” e “onde” das ideias sobre o Brasil.

A rica produção intelectual do período Romântico é fundamental para a compreensão da nacionalidade. Isso porque boa parte da nossa ideia de Brasil foi criada por autores e figuras influentes no período Romântico. Fazem parte dessa época autores como Gonçalves Dias (autor de “Canção do Exílio” e “I-Juca Pirama”, por exemplo) e José de Alencar (autor dos clássicos “Iracema” e “Senhora”, dentre outros).

É durante a chamada primeira fase do Romantismo Brasileiro que nascem as famosas representações do Brasil que conhecemos até hoje, tais como a natureza exuberante e a altivez de povos nativos com um passado glorioso.

No Ensino Médio, em vista disso, o estudo do Romantismo desempenha também papel essencial. Essa importância é notada na quantidade de questões dos grandes vestibulares, bem como nas indicações de leituras obrigatórias, mas principalmente na análise das representações desse período, ainda presentes no imaginário nacional.

Esse campo proporciona um encontro muito rico entre as abordagens dos cursos de Sociologia e Literatura Brasileira.

Na See-Saw Panamby, o curso de Literatura Brasileira passeia por autores e obras já tradicionalmente estudados, mas faz também um interessante contraponto a esse estudo através da leitura de autores e obras marginais ao cânone (que é uma espécie de mainstream dos textos literários).

Além disso, as leituras propostas durante as aulas buscam relacionar textos literários do período Romântico Brasileiro a textos literários de outras épocas.

Esse exercício, típico da literatura comparada, é parte das competências requeridas pelo ENEM para leitura e apreciação de textos literários.

Outra competência importante é a capacidade de “estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político”. É nesse ponto de encontro que Literatura e Sociologia podem se articular em um trabalho integrado.

O curso de Sociologia do 2º ano do Ensino Médio é ministrado em inglês e propõe justamente o debate acerca das representações nacionais e estrangeiras sobre a nacionalidade brasileira. Os alunos leem autores brasileiros e estrangeiros, e analisam textos consagrados, originalmente escritos em Português, em suas traduções para a Língua Inglesa. O período Romântico, também aqui, tem o merecido destaque.

Nesse trabalho conjunto, os professores de Literatura Brasileira e Sociologia propuseram aos estudantes do 2º ano do EM a elaboração de uma linha do tempo virtual sobre o Romantismo no Brasil. Essa linha do tempo foi criada através do site edu.hstry.co, que permite a inclusão de vídeos e imagens.

A ideia por trás da construção da linha do tempo era fornecer a contextualização necessária para a compreensão do Romantismo no Brasil, tanto como projeto de nação quanto como projeto literário. Para isso, os professores indicaram tópicos que deveriam, obrigatoriamente, constar nessa linha do tempo virtual. Dentre esses, havia uma mistura de eventos históricos e publicações marcantes no período.

Os próprios estudantes organizaram-se para definir a quem caberia cada tópico. E embora houvesse essa divisão de tarefas, a linha do tempo só seria considerada “entregue” quando todos os tópicos estivessem contemplados. Dessa forma, era necessário que todos dessem a sua contribuição.

Os alunos trabalharam juntos, com um login compartilhado. A cada nova contribuição, qualquer um deles podia acessar o site para organizar os tópicos já postados na linha do tempo de forma colaborativa. Isso ocorreu diversas vezes. Aqueles que já tinham terminado a sua contribuição prestavam auxílio aos que ainda estavam trabalhando na linha do tempo

Para a avaliação, os professores também trabalharam juntos, observando aspectos como a pertinência dos textos e imagens selecionados, a presença de marcas de autoria e a correta atribuição de fontes para textos, imagens e vídeos.

A Linha do Tempo do 2º Ano permitiu aos alunos/autores a compreensão das relações entre a produção intelectual e seu contexto histórico. Como material disponível online, ela também se concretiza como referência a professores e alunos interessados no estudo do Romantismo Brasileiro. Finalmente, a observação cuidadosa desse material revelará as permanências do pensamento oitocentista no imaginário brasileiro do século XXI.

Phaedra de Athayde é professora de Língua Portuguesa e Roberto Vicente, de Sociologia