Egito antigo na visão de quem tem apenas seis anos

Egito antigo na visão de quem tem apenas seis anos

Equipe See-Saw Panamby

06 de novembro de 2015 | 10h15

mummification process 1

Professores e alunos do primeiro ano do Ensino Fundamental da Escola Bilíngue See-Saw Panamby comemoram uma conquista que contou com a dedicação de todos: “Com o Projeto Egito Antigo, é a primeira vez que as crianças se apresentarão em inglês. Estamos muito orgulhosos” – afirma Paula Ferreira Prado, coordenadora do K5 e 1º anos – currículo inglês.

A apresentação marca a etapa final do projeto que dura todo o segundo semestre. Durante a exposição, os alunos responderão várias perguntas de pais, familiares e educadores.

Tradicional, o projeto Egito Antigo é um dos mais queridos da equipe no currículo bilíngue. Envolve crianças de seis anos de idade com atividades que seguem as orientações dos Referenciais Curriculares Nacionais. Por meio de discussões em roda, pesquisa em grupo, confecção de materiais, pesquisa em casa com a participação dos pais e outras atividades, os alunos desenvolvem habilidades linguísticas na língua inglesa, entre elas, a ampliação do vocabulário, a incorporação de novas estruturas, a compreensão auditiva e a capacidade de se expressar utilizando a segunda língua.

A educadora Paula Prado destaca as particularidades e os benefícios do projeto: “É bacana porque mostra aos alunos uma realidade totalmente diferente daquela em que eles estão inseridos. Eles ficam fascinados ao descobrir que as crianças daquela época brincavam com jogos que não existem mais, mas também com brincadeiras conhecidas até hoje, como o cabo de guerra. A informação de que meninas não iam à escola também é recebida com grande choque por todos. Descobrir as etapas do processo de mumificação – com direito à encenação na sala de aula – é outro ponto alto do estudo” comenta Paula.

Segundo a profissional, uma característica positiva desse projeto é a possibilidade de integrar diversos conteúdos, como a matemática durante a atividade de culinária que ensina a preparar o pão egípcio e as artes – os alunos confeccionam muitos objetos. “É claro que o objetivo principal do estudo é desenvolver a compreensão e a oralidade dos alunos na língua inglesa, mas nada como fazer isso, brincando e despertando para o novo” – encerra Paula.

Tendências:

  • Fuvest 2020: Veja os locais de prova da primeira fase do vestibular
  • Redações da Fuvest: Estadão Acervo levantou o temas de cada redação do exame desde 1977
  • Medicina na USP tem disputa de 129 candidatos por vaga; veja relação
  • Conheça práticas ilegais comuns na matrícula e nas mensalidades de escolas e faculdades
  • Primeira fase da Fuvest: ouça as dicas dos especialistas no podcast ‘Se Liga no Vestibular