Dramas de desencantados – Adaptações da obra de Gabriel García Márquez a curtas-metragens.

Cesar Pazinatto

19 Agosto 2016 | 16h24

Para que usamos os tempos verbais no passado, se não para contar histórias, reais ou imaginárias, complexas ou simples descrições de fatos do cotidiano? E, porque estudamos literatura se não para ter acesso a tantas outras histórias, sejam narradas ou não, mas que se tornaram célebres e passaram a compor um mundo de saberes acumulados e partilhados pela sociedade.

Essa necessidade de contar histórias, essa busca por partilhar de experiências e vivências é, dentre outras, característica intimamente ligada ao “ser” e “fazer-se” humano, e os recursos linguísticos são, então, instrumentos para nos permitir essas trocas e comunicações.

Partindo dessa percepção e compreendendo que os tempos verbais são  um, dentre outros instrumentos linguísticos que nos auxiliam nesse processo, o 1o ano do Ensino Médio fez uso de seus conhecimentos nos pretéritos do indicativo, somando-os a um trabalho com narrativas breves e as múltiplas interpretações que uma única narrativa pode trazer para, então, refletir sobre o conto “El drama del desencantado” de Gabriel García Márquez.

Que histórias poderiam ser contadas? Que conflitos teriam levado o protagonista a um desfecho tão trágico? Poderia ele ter encontrado outro caminho?

Dessas reflexões criaram suas próprias narrativas, adaptadas ao gênero comunicativo “roteiro de curta metragem” e, a partir dele, fizeram encenações dramáticas, transformadas em ação, em fala, em exercício comunicativo.

Confiram o resultado dessas reflexões e experiências.

Professora Vaniery Amorim

Língua Espanhola

1º ano Ensino Médio