Artistas brasileiros contemporâneos são foco de experiências na See-Saw

Artistas brasileiros contemporâneos são foco de experiências na See-Saw

Equipe See-Saw Panamby

02 Outubro 2015 | 11h26

IMG_0501

Por Lisandra Medeiros de Sá Ostronoff

Trabalhar com arte na Educação Infantil é muito comum nas escolas. Pintar, colar e recortar são atividades que contribuem, e muito, para o desenvolvimento infantil, porém quando se une arte a um determinado contexto o aprendizado torna-se ainda mais valioso.

É isso o que acontece com os alunos do K-4 da Escola Bilíngue See-Saw Panamby que participam do projeto “Artistas Brasileiros Contemporâneos”. Durante um semestre as crianças são apresentadas a alguns mestres como Vik Muniz, Leda Catunda, Beatriz Milhazes e OSGEMEOS.

A proposta é proporcionar aos pequenos o contato com os artistas brasileiros, suas técnicas além de desenvolver habilidades como observação e o gosto pela arte.  A escolha dos artistas está ligada a suas técnicas que, além de muito diferentes, podem ser adaptadas à faixa etária e despertam o interesse na criançada.

O universo de Vik Muniz permite trabalhar uma infinidade de materiais e alimentos. A possibilidade de fazer arte com a comida traz lembranças inesquecíveis. Observar os olhinhos atentos enquanto preparamos uma deliciosa calda de chocolate para pintar é incrível. Os pequenos não veem a hora de provar: “Teacher, vai poder comer também?” – “Primeiro a gente come e depois pinta, né?”

Outra experiência positiva foi a colagem com brinquedos. As crianças trouxeram de casa brinquedos quebrados ou sem uso e a ideia foi criar uma obra de arte inspirada no artista. Depois de pronta veio a surpresa: eles observavam atentamente o resultado. Tocavam cada pedacinho do trabalho.

As obras de Leda Catunda nos inspiraram a trabalhar com tecidos, pintura e fotos. Nesta parte do processo houve uma grande mistura de técnicas. As pequenas mãos divertiram-se rasgando pedaços de tecido para depois pintá-los com tintas coloridas.

Mandalas, formas geométricas e colagem fizeram de Beatriz Milhazes uma sensação! Após observarem suas obras, cada grupo pode criar colagens bem interessantes; algumas coletivas e outras individuais.

OSGEMEOS fecharam nosso projeto com chave de ouro. As crianças exploraram o universo do grafite e da arte de rua. As paredes das salas serviram de suporte para a criação de muros cheios de personalidade. Foi o momento de eles pintarem de pé com direito a borrifadores que imitam a lata de “spray” usada pelos irmãos Gustavo e Otavio Pandolfo. Cada muro trazia desenhos de figuras humanas pintadas pelos alunos; sempre inspirados pelos OSGEMEOS.

Tanta diversidade criou um universo riquíssimo, cheio de aprendizado. Além da parte cultural, as crianças desenvolveram a reflexão, o pensar, a atenção, entre outras habilidades importantes.