A Questão do Imigrante no Brasil

A Questão do Imigrante no Brasil

Cesar Pazinatto

27 Outubro 2016 | 13h53

Para entendermos melhor o presente e planejarmos o futuro, é preciso conhecer o passado. Hoje temos no Brasil muitas correntes migratórias, e para entender este fenômeno, desde o Ensino Fundamental 1, os alunos da See-Saw Panamby estudam sobre o assunto da Imigração no Brasil.

Como parte do desenvolvimento dos estudos sobre esse assunto, no 7º ano, os alunos realizam um projeto interdisciplinar que conta com duas Saídas de Estudo do Meio. Em um primeiro momento, os alunos fazem uma pesquisa bibliográfica sobre a fundação e o crescimento da cidade de São Paulo e elaboram apresentações para compartilhar com os colegas os temas estudados. Faz-se inclusive um roteiro dos pontos importantes da cidade que são cenário do livro “O Gênio do Crime”, lido e trabalhado em Língua Portuguesa. Em seguida é feita uma saída de estudo para o centro da cidade. Os alunos visitam o Pateo do Colégio, o Edifício Martinelli, a Bolsa de Valores e o Mercado Municipal. Em seguida, fazem uma comparação entre a Estrada de Ferro Santos – Jundiaí – a São Paulo Railway, construída pelos ingleses – e a estrada de ferro Sorocabana, construída com a ajuda dos Alemães, ambas inicialmente destinadas ao transporte agrícola, principalmente do café, do interior do Estado para o Porto de Santos. São feitas visitas à Vila Inglesa, à Estação da Luz, à Estação Júlio Prestes, comparando as diferenças arquitetônicas e operacionais entre elas, e por fim os alunos percorrem um trecho da antiga ferrovia EFS que hoje é operada pela CPTM.

SAMSUNG CAMERA PICTURES SAMSUNG CAMERA PICTURES SAMSUNG CAMERA PICTURES

Em uma segunda etapa do projeto de estudo sobre a questão do Imigrante no Brasil, os alunos do 7º ano realizam estudos sobre a importância dos imigrantes na industrialização brasileira e na desconcentração industrial que levou desenvolvimento para o interior do estado. Na segunda saída de Estudo do Meio deste projeto, é feita uma visita à Vila de Paranapiacaba. Nesta Vila, que pertence ao Município de Santo André, são feitas visitas à Vila Histórica, à Cidade Alta, à Cidade Baixa, à Casa do Engenheiro Chefe e às instalações do antigo Sistema Funicular que descia os trens até a cidade de Santos. Também conhecem o moderno sistema de descida chamado Cremalheira, operado atualmente pela MRS. Embora seja Patrimônio Histórico, esta vila esteve abandonada por muitos anos. Nos últimos anos, sempre após nossas visitas, nossos alunos, que estão estudando em língua portuguesa o gênero “Carta de Reclamação”, escrevem para a Prefeitura de Santo André, para a Subprefeitura de Paranapiacaba e para a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária falando sobre o abandono e sobre a importância da preservação. Na visita deste ano, soubemos que recentemente o Governo Federal destinou uma verba de R$ 42 milhões para a recuperação de Paranapiacaba.

Na sequência desta saída, é feita uma visita ao Monte Serrat, para conhecer o sistema Funicular semelhante ao usado no transporte de cargas. Também em Santos conhecem a Bolsa do Café, o Centro Histórico de Santos, a Estação do Valongo e a Biquinha de Anchieta em São Vicente.

SAMSUNG CAMERA PICTURESSAMSUNG CAMERA PICTURESSAMSUNG CAMERA PICTURESSAMSUNG CAMERA PICTURES

Além do contexto histórico, das questões geográficas e do estudo de literatura mencionados acima, este projeto de estudo abrangeu questões de Ciências e de Educação Física.

Na disciplina de Ciências, os alunos do 7º ano estão estudando sobre os animais e as plantas. A visita à Mata Atlântica em Paranapiacaba trouxe uma riqueza muito grande para esse estudo. Também a cidade de Santos é rica em Museus que foram visitados com foco nos conteúdos que estão sendo estudados em sala de aula. O Museu do Mar, o Museu da Pesca (USP) e o Orquidário de Santos foram paradas importantes durante este estudo. No Museu do Mar, o guia Luis encanta os alunos com as histórias sobre os tubarões, as baleias e os animais marinhos que inspiraram monstros no cinema. O Museu da Pesca impressiona pela ossada da baleia Fin que tem 23m de comprimento e 7 toneladas de peso, além das maquetes de plataformas marítimas e uma quantidade imensa de animais embalsamados. O orquidário é um centro de acolhimento dos animais apreendidos pelo IBAMA e pela Polícia Federal, e que não podem ser reintegrados ao seu habitat natural. Além das araras, macacos, felinos, jacarés, jabutis e corujas, há também soltos pelo parque cotias e pavões, que tornam a visita muito divertida e o aprendizado mais eficiente.

Em Educação Física, os alunos realizaram uma pesquisa sobre o Pelé e sua importância para o Futebol e para o Brasil. Além da pesquisa bibliográfica e das apresentações elaboradas pelos alunos, durante a viagem assistiram no ônibus o filme “Pelé Eterno”. A visita o museu trouxe um maior conhecimento e respeito por este grande atleta.

José Roberto – Coordenador Pedagógico EF 2