Como ajudar na adaptação das crianças no retorno às aulas

Como ajudar na adaptação das crianças no retorno às aulas

Colégio Renascença

16 de fevereiro de 2022 | 16h50

Coordenação pedagógica do Colégio Renascença reúne dicas para facilitar a volta às aulas dos pequenos 

As primeiras semanas de aulas são um desafio para as crianças e para os pais. O choro na porta da escola, a resistência em vestir o uniforme e até mudanças de humor podem acompanhar os pequenos nos primeiros dias com a nova turma. A coordenação pedagógica da Educação Infantil do Colégio Renascença, conduzida por Mindla Fleider e Tânia Barbosa Martin, explica que é possível tornar essa experiência mais fácil, mas a preparação começa em casa.

Em casa: Toda mudança é difícil, tanto para adultos quanto para crianças. Por isso, neste período de adaptação uma boa dica é esperar um pouco antes de transformar ainda mais a rotina da casa. Evite fazer alterações na rotina de seu filho, como mudança de cama, retirada de chupeta ou fralda ou outra atividade que interfira em seu cotidiano nessa fase. Lembre-se: no período de adaptação pode haver mudanças de humor, na alimentação e no sono, mas é preciso manter a calma porque tudo isso volta ao normal em alguns dias”, explica Mindla.

Preparação: As crianças são muito potentes e dão conta de grandes desafios quando encorajadas pela família e escola. Por isso, é importante celebrar o encontro com os amigos da turma, as brincadeiras, e demonstrar interesse na nova fase. Para Tânia, também há um detalhe que faz diferença: quando os responsáveis trazem os filhos pelas mãos à sala de aula, além do suporte emocional, esse cuidado facilita o distanciamento.

Acolhimento na escola: De maneira geral, os primeiros dias de aula são voltados ao acolhimento dos pequenos, no entanto, é preciso ter em mente que cada criança se adapta em seu próprio tempo. Por isso, nada de comparações com os outros colegas que já estão mais ou menos acostumados com a nova rotina. Na dúvida, pais e responsáveis devem conversar com a escola, afinal, esta também é uma mudança para eles. “Insegurança, medo e certa ansiedade fazem parte desse momento. A conversa com as crianças e a escola são indispensáveis para passar por isso com mais leveza”, complementa Mindla.

Para educadores: Principalmente após o período de isolamento social, o planejamento de 2022 precisa incluir etapas de acolhimento com tempo de escuta e propostas de relatos diários das crianças. Este é um exercício que muitas famílias podem fazer em casa para estimular o compartilhamento e elaboração das emoções que perpassam o isolamento social, mesmo com a flexibilização. “Para os professores do Colégio Renascença, nossa recomendação é não esquecer da parceria constante com as famílias, algo que conquistamos e que não vamos lançar mão daqui para frente. Este trabalho conjunto é essencial”, finaliza Tânia.

Para saber mais informações sobre o retorno às aulas do Colégio Renascença, acesse: www.renascenca.br

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.