Lei Antibullying: como tratar o preconceito de maneira lúdica e construtiva em sala de aula

Lei Antibullying: como tratar o preconceito de maneira lúdica e construtiva em sala de aula

colegioportouniao

11 Março 2016 | 15h54

A nova regra, que entrou em vigor este ano, estabelece quais medidas as instituições de ensino devem adotar para solucionar os casos. Além disso, oferece respaldo legal às instituições que contavam com plano educacional de combate ao Bullying

O Colégio Porto União antecipou a obrigatoriedade e já discute a violência e o preconceito há algum tempo, mas mesmo assim, a nova lei antibullying foi comemorada pelos educadores da instituição, porque o respaldo legal é importante para o combate do problema e, principalmente, para que mais escolas tratem sobre o tema.

Assinada em novembro de 2015, a nova lei (N° 13.185) institui o Programa de Combate à Intimidação Sistemática (Bullying) nas escolas. O Bullying se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva contra um ou mais colegas e, comumente, começa a ser um problema nas instituições de ensino a partir da 5a série.

A estratégia adotada pelo Porto União consiste em escutar aos alunos, que são tratados com individualidade e respeito às particularidades de cada um.

“Com muito respeito na individualidade de cada aluno, nós abordamos o assunto e deixamos que cada um se coloque para entendermos como pensam. Depois finalizamos, conduzindo o tema nas aulas de filosofia e sociologia, de forma ética, ilustrando com textos ou filmes reflexivos”, explica a coordenadora do ensino médio do Colégio Porto União, Suzi Bertonha.

O bullying ainda é tema de inúmeras atividades lúdicas, que são importantes porque permitem com que os adolescentes possam vivenciar a experiência mesmo  que na ficção, desenvolvendo a empatia. Os pais também são chamados para dentro da sala de aula para entender mais sobre.

“O Porto União sempre tratou e discutiu este assunto com muita tranquilidade e de maneiras diversas, como filmes, textos, palestras e apresentações de peças teatrais, inclusive, incluindo os pais no trabalho”, comenta Suzi Bertonha.

O que propõe a Lei Antibullying? 

A lei fixa que é dever da escola assegurar medidas de conscientização, prevenção, diagnose e combate à violência e ao bullying. Também entram na nova legislação, clubes e agremiações recreativas. Para mapear e planejar as ações, que contarão com campanhas nacionais nos meios de comunicação, serão produzidos e publicados relatórios bimestrais das ocorrências.

cyber-bullying-word-art