Educação Infantil é brincadeira…

Colégio Peretz

04 Novembro 2015 | 11h25

Será que, ainda, é preciso explicar a importância da Educação Infantil?

Juntos  aprendendo

Juntos aprendendo

Por Linda D. Blaj e Silvia Kocinas

Nos anos 90, a exemplo de outros países do mundo, a sociedade brasileira despertou para a importância da Educação Infantil. Porém, como sabemos, os paradigmas demoram a mudar e as pessoas estão, aos poucos, entendendo que a primeira infância é um período importante, o alicerce da Educação.

Sem dúvida, a brincadeira é parte integrante da rotina nas salas de Educação Infantil. O que a maioria não sabe é como ela contribui para o desenvolvimento das crianças, uma vez que, por meio dela, caminham em direção às suas descobertas cognitivas, afetivas e sociais.

O professor, por princípio, tem que conhecer a base teórica sobre a faixa etária dos seus alunos e, especialmente, na Educação Infantil o fundamental é ouvir as crianças, entender as suas necessidades e apoiar suas ideias, para possibilitar a utilização de diversas linguagens gráficas, assim registram suas observações, recordações e seus sentimentos.

As crianças são estimuladas a questionarem e a perseguirem seus objetivos, e os adultos valorizam os processos cognitivos de cada um. A equipe de professores estuda como deve direcionar o trabalho para permitir que todos avancem. Isso promove um elevado desenvolvimento das habilidades ligadas à expressão.

 

A criança é um ser social que, por meio das relações com as pessoas e a influência do meio cultural, constrói a história.

Aula de música estimula o aprendizado

Aula de música estimula o aprendizado

As primeiras experiências marcam as nossas vidas e, quando positivas, reforçam ao longo dos anos atitudes de autoconfiança, cooperação, solidariedade e responsabilidade.

É nessa fase que começa a aprender a ser, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a aprender, aprendizados que se configuram nos quatro pilares da Educação.

Afinal na Infância,

Aprende-se a caminhar para correr,

Aprende-se a falar para discursar.

Aprende-se a imaginar para sonhar.

Aprende-se a contar para calcular.

Aprende-se a perguntar para fazer descobertas científicas.

E, dos primeiros traços surgem círculos, formas, letras, palavras e textos.

 

Com espontaneidade, a criança brinca, se diverte, ao fazer descobertas sobre o que vê, toca, sente. E de forma singela e fundamental dá seus passos para definir seu futuro.

 

Mais conteúdo sobre:

Educaçãoeducação infantiltextos