Criação e Arte

Criação e Arte

Colégio Peretz

11 Março 2016 | 08h51

Por Wanet S. de Luna*

“A arte expressa ideias e sentimentos que as palavras usuais não podem explicar”

                                                                                                                               (Rosalind Ragans)

Trabalho feito por Marina C. Ferro, aluna do 9º ano do Ensino Fundamental II

Trabalho feito por Marina C. Ferro, aluna do 9º ano do Ensino Fundamental II

As primeiras manifestações pictóricas humanas já retratam os anseios do homem em expressar suas ideias, experiências e observações do mundo. Desde sempre, o ato de criar é uma forma de expressar e comunicar sentimentos que transpõe barreiras do seu próprio tempo

Arte e criatividade estão intimamente conectadas, porém, são áreas dissociáveis, já que a propriedade do ato de criar é inerente ao ser humano.

Fayga Ostrower, defende, no seu livro, Criatividade e Processo de Criação, que o homem é um ser criador espontâneo e natural e que o ato de criar se relaciona a algo imaginativo e para dar forma ao novo. Ao criar, novas relações se estabelecem e se desenvolvem na mente humana convergindo para a capacidade de compreender, significar e relacionar conteúdos.

Estabelecer relações entre as variações do conhecimento e associações de ideias, favorecem o ato criador. Portanto, quanto maiores estímulos o homem receber, maior será sua capacidade criativa.

O Ensino da Arte, apresenta a Arte como área de conhecimento, que auxilia os jovens a desenvolverem seus potenciais criadores e investigadores. A área artística apresenta uma propriedade específica na linguagem, na estética e para compreender o ver e o fazer arte.

Neste sentido, aprender arte promove no indivíduo a liberdade para pensar e sentir sua própria história e desenvolver a percepção e a imaginação, manifestar seus anseios e expressar seus sentimentos. O indivíduo estabelece, assim, uma relação mais consciente, analítica e transformadora com o ambiente que o cerca, tornando-se mais crítico, reflexivo e criativo.

Por atuar na prática, na reflexão e na experimentação, a arte na educação, favorece o desenvolvimento do indivíduo, na construção do conhecimento estético na relação do fazer artístico com a apreciação de formas e de objetos artísticos e culturais, nas distintas manifestações estéticas. Assim, a leitura da arte e a produção de trabalhos artísticos ampliam o saber.

O aspecto vivencial está diretamente ligado ao processo criativo. Diante de um diálogo com os materiais estéticos, os jovens observam, relacionam com as experiências pessoais, escolhem e estabelecem uma ressonância que o mundo tem em sua história. –  (Luna, Wanet, Fazendo Artes com a Natureza)

No percurso de aprendizagem e construção do conhecimento em Arte, o jovem caminha pela criação e construção pessoal, que envolve escolhas, experiências pessoais e aprendizagens.

O processo de criação com a experimentação dos materiais, envolve não somente o produto final, mas a compreensão do próprio ato de criar, pois por meio do contato com as formas artísticas e a percepção da materialidade, o indivíduo estabelece conexões com suas ideias e sua capacidade de construir.

A Educação Artística desenvolve nos jovens a capacidade de pensar a Arte no seu contexto cultural e histórico de cada tempo, de formular hipóteses e julgamentos sobre as diferentes manifestações estéticas. Assim, o trabalho com as artes na educação deve considerar objetivamente e especificamente a fase de desenvolvimento, conhecimento e competências de acordo com a faixa etária correspondente.

Assim, a arte na educação tem como meta propiciar aos jovens, nas distintas faixas etárias, um espaço de liberdade de expressão e dar oportunidade para que apreciem diferentes produções artísticas e construam suas experiências pautadas no fazer artístico, ampliando suas percepções estéticas e sua sensibilidade para o ato de criar.

“Pensamos que o criar, tal como o viver, é um processo existencial”.

“ A criatividade e os processos de criação são estados e comportamentos naturais da humanidade. São naturais no sentido do próprio e também espontâneo em que todo o fazer do homem torna-se um formar. A criatividade é inerente à condição humana. ”   –      Fayga Ostrower

 

*Wanet S. de Luna é coordenadora de Artes do Colégio I.L. Peretz