Vínculos, precisamos deles para crescer

Vínculos, precisamos deles para crescer

Colégio Pentágono

16 Novembro 2016 | 09h34

REI_5386

Nós, os humanos, só nos tornamos o que somos através de nosso relacionamento com outros de nós.

Vínculos são construídos ao longo de nossa existência, baseados na dependência e na confiança. Dependência porque, em cada etapa desta vida, temos algumas necessidades que precisam ser atendidas com a ajuda do outro e só com tempo e maturidade poderemos supri-las com autonomia. Confiança, pois é preciso que encontremos parceiros que nos proporcionem segurança e acolhimento para crescermos saudáveis e felizes. Ao passarmos de um barco para outro, nossos pés precisam estar firmes e, se tivermos uma mãozinha que nos dê apoio, a passagem será muito mais tranquila, não é mesmo?

Momentos importantes do crescimento demandam suporte para que se possa alcançar etapas mais complexas do desenvolvimento.

O bebê, logo que nasce, totalmente dependente, precisa que lhe saciem a fome. No ato da alimentação e dos cuidados tem início o primeiro vínculo dessa criaturinha e ele será estabelecido com quem lhe proporciona esse conforto. No geral, esta pessoa é a mãe, mas para essa função materna não há necessidade de que seja apenas ela, e sim que haja constância e regularidade nesse contato.

Quando a criança vai para a escola, espaço importante para a socialização, a professora passa a ser referência para amparar a nova mudança de status: deixar de ser apenas “filhinho” para se tornar também “aluno”, dando início à etapa da escolarização. Daí a importância de a família validar a escola no momento da entrega de seu “bem mais valioso” aos cuidados das professoras. O Colégio Pentágono preocupa-se com esse momento e adota alguns procedimentos para facilitar a adaptação à grande novidade que é ir para a escola.

Com o tempo, a professora vai deixando de ser o principal ponto de apoio e os amigos vão se tornando indispensáveis para compartilhar as grandes transformações que a adolescência vai provocar. O vínculo entre os jovens é fundamental para a heroica tarefa de trocar o ninho familiar por seu lugar de cidadão do mundo.

No decorrer da vida, vamos nos vinculando inúmeras vezes, nas relações de trabalho, com os amigos, no casamento, na velhice e em outras situações que nos desafiam. Se nessa jornada formos amparados por pessoas amorosas que nos apoiem e estimulem, seremos muito mais felizes e realizados.

Por
Heloísa Porto Alegre, Orientadora Educacional do Colégio Pentágono