Os saberes do EFI

Os saberes do EFI

Colégio Pentágono

23 Maio 2018 | 14h40

“Eu queria uma escola que lhes ensinasse a pensar, a raciocinar, a procurar soluções. (…)

Eu também queria uma escola que ensinasse a conviver, a cooperar, a respeitar, a esperar, a saber viver em comunidade, em união.

Que lhes desse múltiplos meios de vocês expressarem cada sentimento, cada drama, cada emoção”.

Carlos Drummond de Andrade

Muito se defende que a etapa escolar do Ensino Fundamental I é de grande importância para o desenvolvimento de habilidades e competências que servirão de alicerce para a formação integral e profissional do indivíduo.

São objetivos de ensino deste segmento o pensamento crítico, a capacidade para resolver problemas e tomar decisões, a boa comunicação e a disposição ao trabalho colaborativo.

Os educadores do Colégio Pentágono acreditam e investem nessa importante formação de base.

Mas, afinal, como desenvolver competências na faixa etária de 6 a 10 anos?

Os alunos chegam ao início do Ensino Fundamental I do Colégio Pentágono alfabéticos, conseguem ler e escrever, porém, consolida-se no segmento a alfabetização e o letramento, pois, ao final do 5º ano, os pequenos cidadãos produzem escritas argumentativas, compreendem textos de diferentes gêneros e constroem estratégias de raciocínio lógico-matemático para a resolução de situações-problema.

Entendem sua história de vida, investigam o que acontece ao seu redor e aprendem por meio de diferentes linguagens.

É na escola que se aprende a estudar. Tomar notas, relembrar dados, selecionar informações necessárias, fazer resumos, mapas conceituais e outros registros que implicam os procedimentos de estudos para exercitar a memória e garantir a aprendizagem.

A BNCC, Base Nacional Comum Curricular, propõe no documento o aprender a aprender, saber lidar com a informação cada vez mais disponível, atuar com discernimento e responsabilidade nos contextos culturais digitais, aplicar conhecimentos para resolver problemas, ter autonomia para tomar decisões, ser proativo para identificar os dados de uma situação e buscar soluções.

O estudante questiona e autorregula o seu processo de aprendizagem, assim, desenvolve a autonomia.No espaço escolar, instiga-se a perguntar, a hipotetizar, a problematizar o seu meio, a discutir certezas e incertezas, em um clima de cooperação e curiosidade, pois pensar com todos é a melhor maneira de pensar em si.

Para isso, a escola precisa saber bem o que deseja formar, ter um currículo integrado entre as disciplinas e, cada aula, muito bem planejada.

Tudo o que se faz em aula, por menor que seja, incide em maior ou menor grau na formação dos alunos. A maneira de organizar a aula, o clima criado para a aprendizagem, os tipos de incentivos, as expectativas depositadas, os materiais utilizados, cada uma das decisões veicula importantes experiências educativas.

O princípio norteador da aula precisa ser a aprendizagem significativa, o conhecimento carregado de sentido aos estudantes, sendo aplicado ou vivido em seu contexto.

Na verdade, flagramos o que dá sentido às nossas experiências, cenas do lado de fora e cenas do lado de dentro, pois a escola é feita de cotidianos e de manifestações de vida e é no corriqueiro  dia a dia da escola que os alunos são formados.

Realmente, o Ensino Fundamental I possui seu valor na formação do indivíduo, pois aprender a conviver, a responsabilizar-se pelos seus atos e suas tarefas são situações de aprendizagem preciosas, que têm início desde cedo.

No Ensino Fundamental l do Colégio Pentágono há diferentes estratégias de aula que favorecem o desenvolvimento dessas competências, como a Assembleia de Classe, para discutir as demandas do grupo, a Roda Literária, onde os alunos trocam suas leituras, o trabalho em grupo, em que cada um exerce um papel ou uma função para a elaboração da tarefa e estudo, e as interações nos recreios, mediadas por diferentes brincadeiras para experimentar a convivência saudável tão importante na formação de cada indivíduo, entre tantas outras práticas coletivas e individuais proporcionadas.

Acreditamos na escola proclamada pelo poeta Drummond, aprendemos a conviver, a estudar, a enfrentar conflitos, a transitar pelas diferenças, a lutar por nossos direitos, a compreender os nossos deveres, a respeitar culturas e a intervir na sociedade buscando a paz e o entendimento, saberes que vivemos no segmento do Ensino Fundamental l.

É um caminho de muitos desafios de formação, mas tenho certeza de que vale muito a pena.

Adriana Bulbovas Melo
Coordenadora Pedagógica do Ensino Fundamental l do Colégio Pentágono