O que fazer para facilitar a adaptação em uma nova escola?

O que fazer para facilitar a adaptação em uma nova escola?

Colégio Pentágono

27 de janeiro de 2022 | 14h46

Por Adriana Barbeiro*

Começo de ano é sempre sinônimo de expectativa, não é mesmo? Quando somos crianças ou adolescentes, então, esse frio na barriga é ainda maior: uma nova turma de colegas pela frente, novas possíveis amizades, novos professores, novas matérias e novos materiais. Uma vida “novinha em folha”  em muitos aspetos e aberta para um tanto de experiências que fazem o coração acelerar de animação e medo!

Para aquela parcela de crianças, adolescentes e famílias que, por algum motivo, optaram pela mudança de escola, este é um momento com um tanto a mais de emoções, afinal, como garantir que a nova escolha tenha sido, de fato, a mais adequada? Ainda que as certezas só possam aparecer com o transcorrer do ano letivo, preparamos um texto com algumas dicas que visam facilitar este importante momento de transição.

É essencial garantir, em primeiro lugar, que a criança/ adolescente conheça como será e o que fará parte, ou não, de sua nova realidade. Quais serão as alterações em relação à organização do tempo que a família precisará realizar? Quais pontos mudam em relação ao praticado no ano anterior? Será necessário acordar mais cedo? Qual será o horário do retorno para casa? As atividades extracurriculares continuam ou também sofrem alterações? Ainda que os pais e outros adultos responsáveis tenham clareza das respostas para as perguntas acima, é interessante que todas essas e outras possíveis novidades sejam conversadas com as crianças/ adolescentes envolvidos pois, dessa forma, eles sentirão que fazem parte do processo. 

Conversar sobre a nova rotina, além de ajudar na construção da  sensação de segurança por parte dos mais novos e, também, dos mais velhos, permite vislumbrar e trabalhar antecipadamente pequenas confusões e possíveis frustrações que podem atrapalhar a viagem logo no início da jornada. Conversem bastante, inclusive sobre os pontos positivos e negativos existentes em todas as mudanças que se fizeram necessárias, indicando que nem sempre será possível compor um cenário 100% dentro daquilo que apreciamos. 

Para além do âmbito familiar, vale lembrar que as reuniões com os profissionais da nova escola são importantes pois permitem alinhamento de expectativas e configuram boas oportunidades para conhecer pontos importantes dos cenários que compõem parte relevante da rotina da escola.

Vale reforçar à criança/ adolescente que tais profissionais estarão sempre disponíveis para ajudar na resolução de conflitos, na organização de objetivos e metas, na criação de boas rotinas e no desenvolvimento de um potente e vivo autoconhecimento e que, portanto, podem funcionar como um “porto seguro” estratégico nesta fase de adaptação ao novo ambiente. No Colégio Pentágono, uma equipe de orientadoras educacionais trabalha as habilidades socioemocionais, organização e acolhimento com os alunos por meio do Projeto de Vida, aplicado aos alunos de todos os anos.

Esses são apenas alguns pontos que podem auxiliar na construção de um início de ano mais tranquilo. O mais importante, contudo, é ter em mente que o principal é aproveitar cada minuto dos novos momentos e observar, em cada um deles, uma oportunidade para ampliar, aprofundar e estreitar vínculos, partilhando as alegrias e tristezas da vida, as potências e fraquezas de cada um, tendo em vista, sempre, um futuro melhor, com mais resiliência e maturidade individual e familiar. 

Por fim, nunca é demais lembrar: para cada pequena meta conquistada é preciso celebrar. Comemorem cada pequena vitória, cada superação, cada efetivação de novo e saudável hábito, afinal, essa história de que… “devagar se vai ao longe” é muita verdadeira.

Feliz 2022!

 

* Adriana Barbeiro é Orientadora Educacional e professora de Projeto de Vida da unidade Morumbi do Colégio Pentágono

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.