O desafio de ser professor nos dias atuais

O desafio de ser professor nos dias atuais

Colégio Pentágono

14 Outubro 2015 | 09h02

Esta semana comemoramos uma das profissões mais importantes e gratificantes da sociedade: a de professor. Mas, o que é ser professor na atualidade, num mundo cada vez mais digital, com alunos que têm menos tempo de concentração e atenção às falas do professor e que querem respostas rápidas?

Sem dúvida, ser professor atualmente é mais difícil do que há 20, 30 ou 40 anos. Naqueles tempos os alunos eram obrigados a obedecer a uma lógica de espaço com regras definidas de cima para baixo e com pouca ou nenhuma possibilidade de argumentação ou contestação. Poucos participavam das aulas porque isso não era necessário, bastava o professor falar lá na frente da lousa que os alunos eram obrigados a ouvir ou fingir que estavam ouvindo. Aqueles poucos alunos que, por ventura, exagerassem na conversa eram excluídos da sala.

Hoje, no mundo digital, temos uma geração de crianças e adolescentes mais questionadores que são bombardeados por informações, fazem duas ou três atividades simultâneas. Na escola, apresentam grande dificuldade em prestar atenção às explicações do professor, distraindo-se e, consequentemente, conversando mais durante a aula. O que fazer? Simples! Basta criar aulas mais motivadoras nas quais os alunos sejam convidados a participar ativamente e a aprendizagem ocorra de maneira natural. Já conhecemos essa resposta há quase dez anos, mas a dificuldade é como produzir essas aulas. Esse é o desafio do professor atualmente.

A produção ou planejamento de aulas hoje é muito mais importante, já que o professor precisa diversificar suas estratégias de aula a partir de critérios já conhecidos e possibilitar a interação do aluno com os conteúdos a serem aprendidos. Não basta ter excelência acadêmica e dominar os conceitos, o professor precisa criar mobilidade mental em seus alunos, fazendo com que reflitam, participem dos conteúdos e tenham vontade de aprender a partir de desafios e propostas que apresenta a eles.

No Colégio Pentágono muitos professores estão no caminho certo, pois permitem que seus alunos utilizem smartphones e iPads como recursos para a aprendizagem, gerando, assim, aulas mais interessantes e motivadoras. Também fazem aulas com jogos de tabuleiro nos quais os próprios alunos criam regras com temáticas relacionadas aos conteúdos escolares, desenvolvendo a habilidade de criação. Outros fazem aulas que simulam um fórum ou um debate político, com temáticas ligadas à filosofia, à atualidade e à história, desenvolvendo a argumentação e a oralidade.

Nessas aulas diferenciadas, os alunos se sentem como parte do processo, ficam mais interessados, atentos e, consequentemente, aprendem com mais intensidade. Portanto, ser professor atualmente não é fácil, pois não basta conhecer os conteúdos, exige coragem para planejar aulas diferentes e atrativas nas quais a figura do professor seja mais a de um orientador do que de um expositor. Nesta semana comemorativa damos parabéns a todos os professores, em especial, aos mais ousados.

Por Cláudio Giardino,
Diretor Pedagógico Geral do Colégio Pentágono