Férias são boas, mas voltar para a escola é melhor ainda!

Férias são boas, mas voltar para a escola é melhor ainda!

Colégio Pentágono

27 de julho de 2022 | 15h02

Por Katia Rascio*

Estar em férias é um momento importante para todos nós e principalmente para as crianças. Acordar quando o corpo pede, tomar o café da manhã com calma, saboreando cada minuto com a família logo pela manhã. E depois? Brincar do que quiser e quando quiser, ter tempo inclusive para ficar sem fazer absolutamente nada. Curtir seu animal de estimação, momento tão precioso e cheio de afeto. Se tem uma viagem programada, aí está completo: explorar novos lugares, outras culturas, outros jeitos de ser e fazer. A atmosfera fica diferente, até parece que o mundo gira mais devagar.

Toda essa novidade só aumenta nossa disposição de estar no mundo, alimenta nossa curiosidade, nos possibilita criar novas conexões, viver novas experiências, criar memórias especiais. Nos permite olhar o mundo de outra forma.

Entretanto, aos poucos, vamos sentindo falta do que ficou, dos laços de amizades, daquele espaço que habitamos por tanto tempo e tão cheio de significados, do ambiente que construímos ao redor de tudo isso. Voltar para a escola pode parecer, para os mais desavisados, o fim de um único período muito bom, de liberdade, em que podemos desfrutar da felicidade, mas voltar nos dá um acalento, uma segurança. Dizem que é bom ter para onde voltar. Esse movimento também é libertador, temos a oportunidade de novamente nos encontrar e encontrar o outro. Tudo isso é crescer, amadurecer.

É aí que entra a escola. Estar numa escola humanista que valoriza a formação ampla de uma forma cuidadosa, permite à criança voltar às aulas com a mesma alegria em que saiu de férias. No Colégio Pentágono, trabalhamos para que isso aconteça!

O nosso compromisso e mote de 2022,  “Ser feliz na escola”, é levado muito a sério. É parte integrante de reuniões pedagógicas a reflexão por parte dos educadores de como a escola se constitui nesse espaço rico de aprendizagem contextualizada e significativa, permitindo ao aluno estar emocionalmente engajado em qualquer situação. Nesse processo, temos o cuidado constante de pensar a criança e o adolescente feliz, de uma maneira bastante potente, isto é, queremos o aluno sentindo-se valorizado, potente e motivado para enfrentar os desafios da aprendizagem, das relações interpessoais e do mundo, se fortalecendo a cada dia. Queremos aquele sentimento de felicidade de pertencer, proveniente do ser, conviver, fazer e estar no mundo, com todos os sabores e desafios que isso implica.

Pensando em tudo isso, podemos dizer: As aulas voltaram, uau!

*Katia Rascio é Coordenadora Assistente da Educação Infantil da Unidade Alphavillle do Colégio Pentágono

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.