Férias em família: aprender, conviver, divertir-se

Férias em família: aprender, conviver, divertir-se

Colégio Pentágono

13 de julho de 2022 | 12h24

Por Thaís Ramos Nucci Zanetti*

Para muitos estudantes, o mês de julho é sinônimo de férias. No Colégio Pentágono valoriza-se muito esse período como um tempo de descanso e reposição de energia. Porém também há um grande incentivo para programações culturais, e boas socializações em família. No retorno das aulas, os estudantes trazem as ricas experiências que viveram e compartilham dicas de viagens, passeios, filmes com os colegas. Essa troca cria uma importante interação entre os pares, que, além de contar suas vivências significativas, inspiram os outros em novos roteiros.

Foto: Simon Infanger

Nessa perspectiva, na volta de uma viagem em família, é possível afirmar que trazemos na bagagem muito mais do que roupas, compras e souvenirs. A mala vem carregada de memórias e aprendizados, que serão levados para sempre. Ao sair da rotina e viver experiências diferentes, abre-se caminho para novas conexões cognitivas e emocionais. 

A lista de benefícios e aprendizados possíveis em uma viagem é enorme. Isso porque dá para aprender desde sobre a fauna e a flora brasileiras, ao conhecer o estados novos, até o desenvolvimento de habilidades emocionais e sociais, como fazer amizade com uma criança/adolescente de cultura diferente, ou saber respeitar os limites para ver uma obra em uma exposição de arte, por exemplo.

A etapa do planejamento, em que selecionamos um destino e procuramos saber mais sobre as principais atrações que ele oferece, está entre as mais divertidas do processo de viajar. Navegar pelos guias turísticos e descobrir museus, tours gastronômicos, parques e locais para prática de esportes radicais é curtir a viagem antes mesmo do embarque.

Sendo assim, envolver toda a família nesse passo, cedendo espaço para que cada um escolha pelo menos um passeio ou uma atividade que gostaria de fazer, é um passo fundamental que antecede o grande dia. A negociação dos itens do roteiro deve ter como objetivo agradar a todos. Essa atitude mostrará aos mais jovens integrantes da viagem, a importância de contar com um planejamento cuidadoso e, claro, do trabalho em equipe, permitindo que se engajem mais com a viagem do início ao fim.

As férias, no geral, oferecem boas chances para que crianças e adolescentes pratiquem sua autonomia dentro dos limites adequados à sua idade. Mesmo que não saiam sem a companhia dos pais, os jovens podem aprender, por exemplo, a se levantar sozinhos na hora combinada, decidir por si mesmos o que vão vestir, ficar prontos pontualmente para sair e ajudar os pais nos momentos que requerem maior organização. 

Mesmo que o destino da viagem não seja nenhum lugar exótico e diferente da nossa cultura, a simples troca de ambiente fará, com certeza, com que a viagem em família proporcione situações completamente novas. E essas são oportunidades únicas e muito valiosas na vida.

E então, já arrumou suas malas? Agora, é pé na estrada!

*Thaís Ramos Nucci Zanetti é Coordenadora Pedagógica Ensino Fundamental Anos Finais da Unidade Perdizes do Colégio Pentágono

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.