Educação Digital e a Parceria entre a Escola e a Família

Educação Digital e a Parceria entre a Escola e a Família

Colégio Pentágono

15 Março 2017 | 09h55

Foto_Blog_15.03-1

No Brasil, fala-se muito em Inclusão Digital, mas pouco em Educação Digital. Verificamos que existe por parte de empresas, governos e instituições de ensino investimentos vultosos em equipamentos, máquinas e softwares e nenhuma informação sobre a utilização correta, lícita e ética dos dispositivos móveis.

O tema Educação Digital não implica apenas a discussão sobre a privacidade e a segurança da informação; trata-se de uma ampla e constante abordagem sobre a cidadania global, legislação e ética digital em toda e qualquer forma de comunicação virtual.

Desde 2015, antes mesmo da aprovação da Lei do Bullying, o Colégio Pentágono mais uma vez assumiu uma postura pedagógica inovadora ao implementar o programa “Proteja-se dos Prejuízos do Cyberbullying”. O programa não se limita a tratar da prevenção sobre a violência sistemática reiterada, mas objetiva trazer a cultura de paz e educação para toda a comunidade escolar (família/alunos/educadores).

Desta forma, o Colégio Pentágono entende que é fundamental que haja um relacionamento próximo e uma atuação constante das três partes envolvidas (aluno, responsáveis e corpo docente) para o sucesso da formação acadêmica e do desenvolvimento das habilidades socioemocionais presenciais e virtuais (veja mais em http://educacao.estadao.com.br/blogs/colegio-pentagono/parceria-entre-familia-e-escola-e-a-importancia-da-comunicacao/).

Educar é um verbo que necessita do comprometimento dos sujeitos ativos – escola e família – para o diálogo com as crianças e os adolescentes; a Educação Digital pressupõe que os pais tenham uma boa relação estabelecida com o objeto de discussão ou, quando isso não acontece, tenham coragem para ser sinceros e expressar limites e incapacidades, buscando constantemente a ajuda da escola para assumir o papel na formação do indivíduo.

A Educação Digital precisa encontrar respaldo pedagógico para a implementação de políticas de segurança específicas para crianças e adolescentes. Entretanto, as melhores técnicas pedagógicas serão inócuas sem a constante parceria entre a escola e a família. Essas duas partes formam uma equipe, sendo certo que ambas devem seguir os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir.

Com esse entendimento, no ano de 2015, foram realizados oito encontros específicos para tratar do tema Educação Digital! Em 2016, por nove vezes o Colégio Pentágono envolveu professores, alunos e familiares no programa “Proteja-se dos Prejuízos do Cyberbullying”. A forma como os pais reagiram positivamente ao programa implementado demonstrou para as crianças as consequências dos comportamentos virtuais.

Os pais são responsáveis por legitimar ou rechaçar conhecimentos e valores adquiridos pelos filhos no processo civilizatório; são os primeiros mediadores da relação da criança com o mundo virtual. O programa de Educação Digital do Colégio Pentágono está sendo incorporado à rotina doméstica pelas famílias, estimulando o diálogo presencial, o contato vida a vida e o enriquecimento das relações humanas dentro e fora da escola.

Ser feliz na escola! O Colégio Pentágono constantemente investe em tecnologia para o aprimoramento do projeto pedagógico, mas compreende, fundamentalmente, que a felicidade e a excelência acadêmica não derivam de máquinas, softwares ou construções. A verdadeira EDUCAÇÃO é construída com o fundamento na cultura de paz e na lapidação diária do maior tesouro do Colégio Pentágono: os alunos e as famílias!

Ana Paula Siqueira Lazzareschi de Mesquita
Advogada e sócia do SLM Advogados, membro da Comissão de Direito Digital e Compliance da OAB-SP e idealizadora do Programa Proteja-se dos Prejuízos do Cyberbullying.